Saúde

Remoção de tatuagem

Para quem fez alguma tatuagem que, com o tempo, deixou de fazer sentido, ou se arrependeu, a maneira mais eficaz de removê-la é com o uso de lasers.

Os mais indicados para a remoção de tatuagens são os lasers Q-switched, que agem especificamente nos pigmentos, sendo mais eficazes que a luz intensa pulsada e os lasers ablativos, como o CO2. O laser Q-switched (ex: Laser Ruby) age quebrando os pigmentos, que serão transformados em micropartículas, e estas serão absorvidas pelo organismo.

A tatuagem vai clareando aos poucos e pode sumir completamente. Muitas vezes ela não é removida totalmente, e resquícios de pigmentos profundos permanecem na pele. Nestes casos, há uma grande melhora na coloração, o que permite que uma nova tatuagem possa ser realizada no local. São necessárias de 8 a 16 sessões, dependendo da qualidade e das cores da tinta, da idade da tatuagem e da tecnologia utilizada. Tatuagens amadoras são menos densas e mais superficiais, sendo mais fáceis de ser removidas. Por incrível que pareça, as cores mais escuras também são mais fáceis de ser removidas, e a cor preta é a que dá melhor resposta. Já as cores branca, amarela e laranja são as mais difíceis. Cada sessão tem duração média de 30 minutos, e antes pode ser usada uma pomada anestésica por 30 a 60 minutos, para redução da dor durante a aplicação. As sessões são repetidas a cada 4 a 6 semanas. O local tratado pode apresentar vermelhidão, inchaço e posterior formação de crostas. É necessário o acompanhamento do paciente e a orientação quanto aos cuidados locais, como higiene, hidratação com cremes cicatrizantes, fotoproteção e pode ser necessária uma pomada com antibiótico.

O tratamento deve ser realizado em uma clínica capacitada e confiável, com um aparelho adequado e com o acompanhamento de um médico dermatologista.

Texto:
Dra. Thaís de Paula A. Mesquita
Dermatologista

Notícias relacionadas