Editorial

O povo não espera

Lao-Tsé, filosofo chinês que viveu no século VII a.C., nos deixou muitos ensinamentos. Dentre eles, que “uma viagem de mil milhas começa com um único passo”. Do lançamento do nosso O JORNAL até agora, recebemos muitos elogios, afirmando que este veículo chegou em boa hora, com uma postura clara de independência. Como outros veículos, vamos cobrar muito da classe política, porque são os desejos da população. Todos estão insatisfeitos com a maioria dos nossos representantes, que têm trabalhado mais em causa própria do que para a comunidade; como também com alguns cidadãos, que se julgam acima da lei. O momento é de mudança, temos que agregá-la à nossa cultura. Mudar faz parte das comunidades que crescem com qualidade e responsabilidade.
São três os critérios adotados pelo O JORNAL para escolher os entrevistados da semana: serão pessoas que prestaram serviços relevantes, jovens que começam a despontar na comunidade e pessoas que não aparecem nas manchetes, mas dão diariamente uma contribuição importante à sua profissão, como é o Sr. Antônio David de Souza, com quem conversamos neste número. Aos 86 anos, mostra determinação, fibra, capacidade e resistência no labor como poucos, e tem uma energia que se renova com o trabalho. Conta com o respeito de todos.
O Brasil tem péssimos exemplos de lideranças. Na classe política temos muitos camaleões, mas a Lava Jato está sendo o “despertador” que nos acorda todos os dias. E a imprensa justa contribui com o surgimento e o crescimento das boas lideranças. Tem sido este o papel da imprensa no País.
O JORNAL já conta com números respeitáveis de adesão ao seu corpo de colaboradores e de visitas de leitores, o que confirma a Uberlândia que conhecemos, crescendo não só fisicamente, mas com o cidadão buscando conhecimento. A internet está tornando o mundo mais plano, o cidadão não precisa sair de casa para fazer compras e muito menos para defender seus interesses.
Outro ponto importante a destacar: antes apenas as empresas e as famílias entravam em crise, mas hoje se encontram em grande dificuldade também os governos, nos três planos. O JORNAL vai estar presente, sempre de forma isenta, ao lado dos poderes constituídos, na melhoria de Uberlândia. Odelmo Leão, assim como muitos outros prefeitos brasileiros, recebeu uma prefeitura com muitas dívidas e uma receita em declínio. É necessário reverter essa situação, apoiá-lo. Agora, uma coisa é certa: indiferentemente da justificativa, o povo não espera como antes.

Texto: Hélio Mendes

Notícias relacionadas