Saúde

Exercício físico, Você e riscos a sua saúde

Olá, amigo leitor! A partir de agora estaremos juntos, quinzenalmente, para falar de questões ligadas a sua saúde e que vão direcionar você, de maneira pontual, com exercícios, dicas sobre boa alimentação, cuidados com excessos e vários temas relacionados.
Mas, antes de começar: você conhece alguém que sempre aparece com dietas novas para perder peso? Já viu alguém que, “vira e mexe”, começa a fazer academia, corridas, ginástica, entre tantos outros “martírios do suor e lágrimas”, mas nunca atinge os objetivos? Pois bem! Essas e outras situações sempre permeiam nosso cotidiano e nem nos damos conta do quão perigosas elas podem ser para nossa saúde.
Vejamos, amigos!
Exercícios fazem bem à saúde. A Organização Mundial da Saúde já divulgou muitos artigos apontando que o caminho para a saúde e a longevidade tem relação direta com exercícios físicos. Existem evidências claras de melhorias nos protetores da saúde do coração, no controle da pressão arterial, na perda de peso e do controle do açúcar sanguíneo. Isso, meus amigos, sem falar do prazer do convívio social em um ambiente descontraído e bem-humorado que somente o exercício pode nos oferecer!
Entretanto, existe a influência fortíssima do apelo da estética corporal e dos corpos magros e bem trabalhados. Um exagero da sociedade moderna que faz do exercício uma ação opressora a qual nos afasta da saúde e nos coloca escravos de uma busca incessante pelo físico supostamente perfeito a todo custo. O resultado disso é um afastamento da pessoa da própria saúde e um aprisionamento com o próprio ego insaciável.
Verdadeiros dramas têm sido vividos. A saúde, em seus aspectos físico e psicológico/emocional, tem sido degradada em função de recomendações dietéticas perigosas, prescrições de exercícios de intensidade altamente desafiadora – e, diga-se de passagem, irresponsável – e recomendações médicas sem a mínima reflexão voltada para a saúde do paciente como um todo.
É preciso que se façam exercícios físicos com frequência e sempre com a supervisão de um profissional de Educação Física devidamente credenciado pelo CREF – Conselho Regional de Educação Física. As dietas da moda devem ser abolidas do nosso cotidiano, pois apenas um nutricionista credenciado pelo CRN – Conselho Regional de Nutrição pode prescrevê-las. E quanto aos médicos, que em suas especialidades e expertises não se percam sob o peso do apelo de pessoas que não sobreviveriam sem uma barriga de tanquinho, e de fato exerçam medicina para o bem-estar de seus pacientes.

Eduardo Haddad

Notícias relacionadas