Foco Saúde

Melasma


Melasma é uma condição que se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras na pele, mais comumente na face, mas também pode ocorrer em outras áreas fotoexpostas como braços e colo.
Afeta principalmente as mulheres, mas também ocorre em homens.
A causa não é totalmente esclarecida. O fator desencadeante é a exposição à luz ultravioleta (sol) e à luz visível (lâmpadas), mas há também uma influência genética, hormonal e vascular.
Devido a essa influência hormonal, o melasma é mais comum em mulheres dos 20 aos 40 anos; ou que utilizem anticoncepcionais ou estejam grávidas, situações nas quais os níveis de estrogênio estão mais elevados. Na menopausa, os sintomas começam a diminuir (exceto se estiver em uso de reposição hormonal).

As manchas escuras ou acastanhadas são nítidas, com formato irregular.
Ocorrem principalmente em buço, bochechas e testa. A intensidade da pigmentação é variável, às vezes é discreta e quase imperceptível, outras vezes é muito acentuada, trazendo sérios distúrbios emocionais.
O melasma deve ser considerado uma patologia de caráter crônico e tende a voltar se o tratamento for interrompido, portanto, exige cuidados constantes.
O tratamento é difícil devido a sua natureza refratária, mas existe, sim, controle, e prevê um conjunto de medidas para clarear, estabilizar e impedir que o pigmento volte.
São utilizados medicamentos orais, cremes tópicos (despigmentantes e ácidos) e procedimentos como o peeling para o clareamento.

É muito importante o uso de fotoproteção diária com proteção para UVA, UVB e luz visível, mesmo em ambientes fechados. O FPS deve ser de no mínimo de 30 e para melasma o ideal é ser ≥ 50. Não são todos os filtros que protegem contra a luz visível (lâmpadas, tela de computadores, tablets e celulares). Os que realmente protegem devem conter filtros físicos, como o óxido de ferro, que refletem a luz solar e estão presentes na maioria dos filtros com cor.
Embora exista tratamento, o ideal é prevenir essas manchas, usando filtros solares diariamente, mesmo em dias de chuva, e evitar a exposição direta ao sol, com uso de chapéus, viseiras, blusas com FPS nas caminhadas e guarda-sol em piscinas e praia.

Dra. Thaís de Paula A. Mesquita
Dermatologista

Notícias relacionadas