Expresso Foco Saúde

Dez problemas mais comuns na pele durante a gravidez

Com relação à pele, a maioria dos problemas enfrentados pelas grávidas é devida às alterações fisiológicas e hormonais

A gravidez é um momento especial e feliz, porém, muitas vezes, bate aquele medo das alterações que possam surgir no corpo ao longo dos nove meses de gestação.

Com relação à pele, a maioria dos problemas enfrentados pelas grávidas é devida às alterações fisiológicas e hormonais, como:

*hiperpigmentação (em até 90% das grávidas): escurecimento de mamilos/aréolas, linha abdominal, região genital e parte superior interna das coxas. Regridem após o parto, mas podem não voltar totalmente à cor anterior;
*melasma (pode surgir em até 70% das gestantes): manchas escurecidas na face, que tendem a persistir no pós-parto;
*aumento de pelos no corpo: geralmente regride após o parto;
*eflúvio telógeno: queda de cabelos após o parto, que pode durar até 6 a 15 meses;
*unhas com maior crescimento, mas podem ficar mais frágeis, com descolamentos e sulcos;
*aumento da função de glândulas de suor (aumento de transpiração, exceto nas palmas) e sebáceas (acne);
*estrias (surgem em até 90% das mulheres gestantes): pela alteração hormonal e principalmente pelo estiramento da pele e ganho excessivo de peso;
*piora da celulite e aumento de lesões de pele;
*vasculares: varizes, vermelhidão palmar, telangiectasias (dilatações vasculares), hemorroidas e aumento e irritação gengival;
*coceira: até 20% das gestantes são afetadas por coceira sem nenhuma doença associada, sendo mais frequente no abdome, particularmente no terceiro trimestre, quando a pele é esticada ao máximo. Porém, podem estar associadas a dermatoses da gestação ou a patologias e devem ser avaliadas.

Cuidados

É importante o uso regular e diário de protetor solar para evitar o aparecimento de manchas. Existem clareadores que podem ser usados na gestação para os casos de melasma.

Uma pele bem hidratada suporta melhor a distensão, sendo feito uso de hidratantes e óleos corporais, com preferência para produtos específicos para grávidas, os quais não contêm na composição substâncias que podem prejudicar o bebê.

Quanto às dilatações e aos pontos vasculares, pode ser realizado laser específico para vasos após o parto, com ótimos resultados.

Nas estrias, é importante iniciar o tratamento logo após o parto, pois, quanto mais recente a estria, melhor o resultado terapêutico, chegando a 80-100% de melhora nas estrias iniciais. Podem ser usados Laser Cool Touch, microdermoabrasão, carboxiterapia e peelings.

É necessário distinguir as alterações normais da gestação das doenças que podem estar associadas a ela. Em casos de dúvidas, um médico deve ser consultado.

Por Thaís de Paula A. Mesquita
Dermatologista

Notícias relacionadas