Esportes Futebol

O SIF – Setor de Inteligência chegou ao futebol!

O time que se considera grande ou pretende sê-lo terá como prioridade o setor de Inteligência do Futebol. Seus integrantes terão que ter na bagagem experiência, sabedoria, discrição e evitar holofotes no mundo da bola. Nós, românticos, achamos que as vitórias se decidem exclusivamente nos gramados. O engano está nesse ponto de vista, equivocado. Uma sucessão de processos racionais de conhecimentos afeta os rendimentos dos atletas. Analisem o Botafogo nos últimos três anos. Foi a equipe que mais evoluiu, com um orçamento bem inferior ao de seus adversários diretos. Antes dos jogos, o temperamento da arbitragem é informado, até se tem algum bipolar no grupo. As características de cada jogador rival. Em qual canto o batedor oficial cobra penalidades máximas. Os pontos fortes e os fracos dos goleiros. Normalmente vídeos são apresentados na semana do jogo. Nesse departamento, incluem-se os olheiros, que descobrem novos talentos por esse interior afora.

O Uberlândia Esporte Clube dá seus primeiros passos para tornar-se uma agremiação de ponta. Revelou Bruno Henrique, que hoje brilha no Santos. A história desse ex-menino pobre é interessante. Em Belo Horizonte, Zecão e João Gilberto foram à casa de Bruno, que havia abandonado os treinos e desistido de jogar futebol. Com muito tato, o maior ídolo do Verde convenceu o rapaz a seguir na vida profissional futebolística. Ainda bem que Bruninho seguiu os conselhos de seu mestre Zeca! O Furacão Verde da Mogiana deverá receber do Wolfsburg, da Alemanha, uma boa compensação financeira por ser o revelador do atleta. O clube europeu já concordou. O departamento jurídico esmeraldino negocia também com o Goiás e o Santos o mesmo assunto. Como podemos sentir, o departamento de Inteligência de qualquer clube, sendo ocupado por pessoas eficazes, rende bons frutos, ou melhor, rende ouro para seus cofres.

Texto: Lucimar César

Notícias relacionadas