Cidade Destaque Expresso

Campanha pela redução de despesas na Câmara Municipal já conta com 17 mil assinaturas

O coordenador estadual do MBL, Pedro Cherulli disse que o número atual de assinaturas foi conseguido em 48 dias de trabalho.

O MBL (Movimento Brasil Livre) em Uberlândia já conta com 17 mil assinaturas das 25 mil necessárias, para a campanha Uberlândia Mais por Menos. A iniciativa contempla sete itens como: reduzir o número de vereadores de 27 para 17; reduzir o número de assessores por vereador de 15 para 5; licitação dos itens da verba indenizatória e redução da mesma em 40%; redução dos gastos de manutenção e outros; mudança dos horários das sessões para a noite e aumento dos números das sessões de 10 para 12 a serem realizadas às terças, quartas e quintas-feiras.

O coordenador estadual do MBL, Pedro Cherulli disse que o número atual de assinaturas foi conseguido em 48 dias de trabalho. Ele acredita que nos próximos três a quatro meses, o movimento alcance as 25 mil assinaturas para o projeto ser apresentado na Câmara Municipal. Para isso, voluntários do movimento estarão na portaria do Praia Clube de quinta-feira a domingo, em seguida vão para as portas das faculdades particulares e feiras livres.

Segundo os cálculos do MBL, se aprovado, o projeto pode economizar nos quatro anos de legislatura cerca de R$ 100 milhões. “O objetivo principal é reduzir os custos na Câmara Municipal, com essa redução a verba economizada retorna para a prefeitura que pode investir nas áreas de educação, saúde e segurança, por exemplo”, afirmou.

A população recebe o projeto muito bem porque desconhece essas informações, disse o coordenador. “Quando você fala que um vereador tem 15 assessores, é de cair de costas. Essa é a informação menos conhecida do cidadão uberlandense. Eles perguntam para quê tantos vereadores e assinam de boa vontade”, afirmou Cherulli.

Outro ponto destacado por Cherulli, é que para assinar o abaixo assinado do projeto, o eleitor precisa ser de Uberlândia. “Os eleitores locais assinam na hora, os outros 30% a 40% que são abordados pelos voluntários não assinam porque não tem domicílio eleitoral na cidade”, afirmou.

Projeto será encaminhado à Câmara

Ao alcançar as 25 mil assinaturas, o MBL (Movimento Brasil Livre) vai levar o projeto para Câmara, que por sua vez, encaminhará para a Comissão de Constituição e Justiça da Casa de Leis. Verificada a constitucionalidade das reivindicações apresentadas, a comissão entrega o projeto para o presidente da Câmara, que tem um prazo de 30 dias para colocá-lo em votação.

O coordenador estadual do MBL, Pedro Cherulli, destacou que em caso de aprovação, a redução do número de vereadores passa a vigorar no próximo pleito. “Todas as outras pautas, como a redução do número de assessores, já podem ser resolvidas na legislatura atual”, afirmou.

Texto: Leonardo Leal

Notícias relacionadas