Destaque Expresso Política

Vereadores não são favoráveis às privatizações em Uberlândia

O prefeito de São Paulo, João Doria planeja privatizar diversos equipamentos municipais, entre eles o Anhembi, os estádios Morumbi e Pacaembu e a gestão do bilhete único de ônibus municipal. O objetivo é diminuir os gastos da prefeitura e melhorar a qualidade dos serviços, que serão fiscalizados pelo poder público. Com o dinheiro arrecadado, a prefeitura planeja aplicar em um fundo de investimentos para projetos nas áreas de saúde, educação, mobilidade urbana, moradia e segurança.

O JORNAL de Uberlândia ouviu os vereadores Roger Dantas e Michele Bretas sobre a aplicação da ideia em Uberlândia como, por exemplo, a privatização do Dmae (Departamento Municipal de Água e Esgoto) ou do Estádio Municipal. Leia a abaixo a opinião dos edis:

Michele Bretas:

“Em comparativo com São Paulo é muito difícil fazer uma privatização. Nós não contamos aqui com as multinacionais que eles têm na capital paulista. Eles têm empresas campeãs de vendas do mundo. Então, não podemos comparar Uberlândia com São Paulo.

“Mas em questão de se privatizar, por exemplo, o Dmae, eu não concordo. Nós temos um departamento de água que é nosso, que é da cidade e defende o consumidor local. A gente vai entregar para outra empresa que vem de fora?
“Acho que o órgão funciona muito bem administrado pelo governo municipal. Agora, se me for mostrada uma estatística que isso vai economizar para a cidade. Aí é outra situação. Mas até agora, não se tem nada concreto. Por enquanto, sou contrária. Principalmente, em relação à questão da água.”

Roger Dantas

“Temos que ter muito cuidado com qual órgão que se quer privatizar e como ela será feita. Sou a favor da parceria da iniciativa pública/privada. As famosas PPP. Acredito muito nestas parcerias.

“Temos até um projeto de lei na casa que é para apoiar as escolas e creches por meio da iniciativa privada. Vamos dar entrada em outro projeto de lei, em que as empresas vão apoiar seminários, congressos que a prefeitura realizar.

“No momento econômico atual que o país vive, temos que buscar várias formas de apoio. Dentre eles, as parcerias com a iniciativa privada em que acredito muito. Mas fica a ressalva, é preciso saber o que privatizar e como privatizar. Teve algumas privatizações que foram boas para o país, mas não acredito que são todas.
“O Dmae é um patrimônio histórico que temos na cidade. Temos que ter muito cuidado porque hoje as empresas de fora vêm para Uberlândia pela questão geográfica, mas também o custo e a qualidade da água são grandes atrativos. Defendo a geração de emprego e renda para atrair essas empresas, mas é preciso ter muita cautela.”

Texto: Leonardo Leal

Notícias relacionadas