Destaque Editorial Expresso

É uma vergonha, mas é hora de transformar as ameaças em oportunidades

Foto: Pixabay

Música de Paulo Vanzolini: “Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”. Os brasileiros não podem esquecer, muito menos ignorar o que está acontecendo. Indiferentemente das siglas dos pseudopartidos, os indiciados devem ser julgados e, se culpados, condenados. Estamos falando dos políticos e também dos maus empresários.

Se os acontecimentos anteriores, como o Mensalão e outros que tornaram muitos políticos ficha suja, tivessem recebido a pena devida, não estaríamos vivendo uma crise dessa proporção. Este é um momento singular. Nas empresas, quando surge uma crise, é colocado como desafio transformá-la em oportunidade.

Não podemos mais é ficar sentados, indignados, assistindo a essa bandalheira. No dia a dia, não podemos prestigiar políticos ficha suja; nas próximas eleições, os que entram com recursos e muito menos os oportunistas, que agem apenas quando é conveniente. É bom lembrar neste momento também uma citação de Max Weber: “Neutro é quem já se decidiu pelo mais forte”. Esta é a questão: predominam no País, não apenas no setor político, os que ficam em cima do muro. O cidadão comum tem passado procuração em branco para representantes não apenas na política, sem avaliar a consequência dessa atitude, essa posição cômoda. Podemos chamá-lo de irresponsável.

Outro erro usual é acreditar que os brasileiros são pessoas puras e os políticos, pecadores. Eles são frutos da nossa comunidade, a maioria começou como presidente de associações, vereador, membro de igrejas, de sindicatos. São eleitos para cargos políticos, a maioria sem vocação nem preparo para exercer um cargo público. Quando se vota mal, dá no que está acontecendo: políticos despreparados, sem ideologia ou corruptos.

As pessoas que estão fazendo delação premiada estão nos trazendo um grande benefício, porém, não devem ser perdoadas, porque são corruptoras ou corruptas, desviaram recursos que iam para saúde, educação, infraestrutura e pagamento de funcionários.

É com muita tristeza que Minas assiste aos principais políticos do Estado fazerem parte desta lama, o ex-governador, senador Aécio Neves, e também o atual governador, Fernando Pimentel.

Mas para transformar o que está acontecendo em oportunidade, temos que repensar as nossas atitudes, porque os atuais representantes foram criados por nós, brasileiros.

Editorial

Notícias relacionadas