Cidade Expresso

‘Sistema Produtor de Água Potável Capim Branco’ prevê ações sociais em 8 áreas rurais

Comunidade que vive próximo à obra receberá formação profissional e será beneficiada por ações de educação ambiental.

O Sistema Produtor de Água Potável Capim Branco prevê uma série ações sociais para a comunidade. Com base em um diagnóstico socioeconômico da população que vive no entorno da obra, atividades que promovem a formação profissional, melhoria de renda e educação ambiental serão desenvolvidas pelo Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae), em parceria com o consórcio BT Comvap Completa. A execução do projeto social será feita pela empresa escolhida por meio de processo licitatório e cerca de 1% do valor total financiado para a construção do Capim Branco será destinado para ao desenvolvimento do trabalho social.

A ação será desenvolvida em oito áreas rurais (Chácaras Andorinhas, Comunidade Tenda do Moreno, Comunidade Olhos D’Água, Vila Marielza, Assentamento Vida Nova, Chácaras Capim Branco, Chácaras Tenda do Moreno I e II) e cinco áreas urbanas (bairros Morumbi, Alvorada, Integração, Assentamentos Maná e Santa Clara).

Continuidade

Além do trabalho social a ser desenvolvido, o Dmae já realizou algumas ações nas áreas próximas à obra de captação de Capim Branco. “Nossa equipe se reuniu com os moradores e passou orientações sobre educação ambiental. Mas também construímos um abrigo para resíduos sólidos e colocamos fossa séptica na comunidade Tenda do Moreno”, conta Ana Paula Carvalho, supervisora de projetos de educação ambiental do Dmae.

A gerência ambiental da autarquia sempre trabalha com a comunidade no entorno de todas as obras de sua responsabilidade. “Esse projeto amplia nossas ações em relação ao diagnóstico da área e promove uma melhoria na qualidade de vida, além do benefício de a água tratada para a população viver cada vez melhor”, afirma Ana Paula.

Abastecimento

O Sistema Produtor de Água Potável Capim Branco, planejado em 2007 durante a segunda gestão do prefeito Odelmo Leão, vai garantir o abastecimento de água para 1,5 milhão de habitantes e é considerada a maior obra de saneamento em Minas Gerais. Está prevista para construção em três etapas, sendo que a primeira delas deve entrar em operação no final de 2018.

Texto: Secom PMU

Notícias relacionadas