Expresso Foco Saúde

Saiba quando as pintas oferecem algum risco à saúde

Dra Thaís Mesquita é dermatologista

Manchas marrons regulares na pele, salientes ou não. A maioria surge em decorrência da exposição solar e são benignas. Normalmente, um adulto tem entre 10 e 20 pintas, e estas surgem até os 35-40 anos.

O que são os nevos displásicos ou atípicos?
São pintas disformes, com vários tons e que, apesar de benignas, lembram um melanoma. Geralmente são hereditárias. É um marcador de risco, pois pessoas com esse tipo de nevo são mais propensas a desenvolver melanoma. Segundo pesquisas, pessoas com 10 ou mais nevos displásicos possuem 12 vezes mais chance de desenvolver um melanoma.

O que é melanoma?
É um tumor originário dos melanócitos (células que produzem melanina), agressivo, geralmente escuro, de crescimento rápido e com grande potencial de gerar metástases (espalhar pelo corpo). São assintomáticos inicialmente e, nas fases avançadas, podem ficar elevados, sangrar, doer e coçar. Apesar da incidência menor que dos outros cânceres de pele, é o que causa maior número de óbitos (75% das mortes por câncer de pele). Existe maior risco em: pessoas com pele, cabelos e olhos claros, sardas, muitos nevos (>50), história pessoal ou familiar de melanoma e quem sofreu queimaduras solares frequentes (principalmente na infância e adolescência) ou exposição solar intermitente (poucas vezes ao ano, mas em grande quantidade).

Como reconhecer uma lesão suspeita?
A regra do ABCD ajuda nesta diferenciação:
A – Assimetria: uma metade diferente da outra;
B – Borda: irregular e mal delimitada;
C – Cor: cores variáveis na mesma lesão (preta, marrom, branca, vermelha e azulada);
D – Dimensão: diâmetro maior que 6 mm.

A dermatoscopia (realizada com aparelho médico) auxilia no diagnóstico, pois amplia a imagem e permite a visualização de estruturas e cores não vistas a olho nu.

Conheça sua pele e faça um autoexame todos os meses, em um local claro e com ajuda de um espelho.

A visita ao dermatologista é indicada uma vez ao ano ou sempre que notar mudanças, sintomas ou nova lesão suspeita.

O diagnóstico precoce é essencial para uma boa evolução. Mesmo que as neoplasias sejam curáveis se detectadas e tratadas precocemente, é sempre bom prevenir. Adquira hábitos saudáveis e siga as recomendações sobre fotoproteção.

Texto: DRA. THAÍS DE PAULA A. MESQUITA
Dermatologista
Av. Nicomedes Alves dos Santos, 1500 – Morada da Colina

Notícias relacionadas