Expresso Foco Games

“Caramba, já tava na hora!” – A Saga Starcraft

Lucas Luz é entusiasta de games

Em meados do ano 2499, a superpopulação do planeta Terra faz o governo autoritário do UEA, “United Earth Directorate” (algo como Congregação da Terra Unificada) enviar para a galáxia quatro grandes naves-prisões, com criminosos humanos, mutantes e alguns organismos cibernéticos. Após uma longa viagem, tais naves tiveram problemas e pousaram em três diferentes planetas (Tarsonis, Moria e Umasa), todos no setor galáctico nomeado como “Koprulu”, em áreas dominadas pelos então desconhecidos alienígenas “Protoss”.

Com o passar do tempo, essas colônias terrenas, completamente isoladas e sem comunicação com o seu planeta de origem, se dividem em várias facções e interesses. Com o poder tecnologicamente superior ao dos humanos, os então dominadores do setor “Koprulu”, os “Protoss”, intrigados com o comportamento e a mentalidade dos “Terranos”, continuam escondidos para examiná-los e protegê-los de outras ameaças. Porém, os “Zergs”, uma raça aracnídea de característica rudimentar e guerreira, atacam os “Terranos”, complicando os planos de hegemonia dos “Protoss” no local.

A partir desse momento desencadeia-se toda uma história complexa de guerra entre três grandes raças intergalácticas (“Terranos”, “Protoss” e “Zergs”), com fascinante enredo e que engloba desde revolta popular a “golpes de Estado”.

Foto: Divulgação

Essa fabulosa ficção científica foi lançada pela Blizzard Entertainment para computadores PC/Windows e Nintendo 64, em março 1998. A saga aborda uma visão estratégica em tempo real (RTS: Real Time Strategy), ou seja, a construção e o desenvolvimento de uma cidade/exército/nação virtual, dentro de um mapa cheio de recursos naturais e com visão superior. A história do jogo gira ao redor do aparecimento de duas raças alienígenas no mapa “Terrano” e a tentativa de cada raça de sobreviver e se adaptar às outras. Foi lançada uma expansão: “Starcraft: Broodwar”, em novembro do mesmo ano, sendo um estrondoso sucesso de vendas, com mais de um milhão e quinhentas mil cópias.

Posteriormente, em 2010, veio a esperada continuação da saga, com o recordista “Starcraft 2: The Wings of Liberty”, incorporando uma nova engine gráfica em terceira dimensão, além de bater a incrível marca de três milhões de cópias vendidas em apenas uma semana.

Foto: Divulgação

Com todo o sucesso mercadológico e de crítica, foram desenvolvidas mais duas expansões (“Heart of the Swarm” e “Legacy of the Void”), sendo nelas contados os diferentes pontos de vistas das outras raças, “Zergs” e “Protoss”, completando assim, a saga no modo história.

Ok, imagino que tem uma turma já reclamando: “Ele não vai falar do multiplayer?”. Mas é claro que vou! Aliás, estava deixando o melhor para o final.

Quem aqui não perdeu noites jogando (e aproveitando o pulso único do modem) batalhas 2×2 épicas marcadas através de canais do mIRC ou grupos no MSN? E as LAN parties em casas de amigos, que varavam madrugadas, e pizzas? Horas de estudos e discussões eram gastas para identificar a melhor estratégia de ataque de cada raça. Qual era a de vocês? Eu gostava muito de usar “Rush de Zerglings” ou aquela “abelhada” toda das “Carries+Dark Templars” dos “Protoss”. Cada um inventava a sua combinação e cada batalha, uma estratégia diferente.

Por fim, tenho uma boa notícia aos aficionados pela saga. A Blizzard Entertainment está oferecendo, após 20 anos, uma versão gratuita do lendário “Starcraft: Broodwar”. Lembrando que essa versão já vem com a expansão e atualizações para jogos online. Para acessar o jogo nas versões Windows/MAC, clique aqui.

Além dessa versão gratuita, é esperado um grande lançamento agora para 2017 da remasterização do jogo original, para PCs da nova geração, com efeitos de iluminação e animações condizentes com as engines atuais. Segue o trailer:

PS: Gostaria de agradecer toda a receptividade dos fãs de games e leitores do O Jornal de Uberlândia. Muito obrigado!

Texto: Lucas Luz, entusiasta de games

Notícias relacionadas

4 comments

  1. Nunca ouvi falar desse tal de Starcraft. Acho que durante todo esse tempo, eu deveria estar em outra galáxia. Muito bom o texto, me interessei bastante pela história do jogo. Legal!

Comments are closed.