Destaque Expresso Política

Temer fica até o fim do mandato, diz Maílson da Nóbrega

Foto: Divulgação/Fiemg

O ex-ministro da Fazenda e sócio da Tendências Consultoria Maílson da Nóbrega afirmou que o presidente Michel Temer cumprirá o mandato até o fim. A afirmação ocorreu durante palestra promovida pela Fiemg (Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais) Regional Vale do Paranaíba na noite desta quinta-feira (01) em Uberlândia. Ele destacou que Temer sabe manejar os recursos do poder e que o tempo joga a seu favor. Maílson também ressaltou a recuperação da economia e as conquistas do país, como a solidez das instituições que controlam o governo.

“Em termos de poder de negociação, de barganha, o presidente do Brasil é mais poderoso que o presidente dos Estados Unidos. O governo além de manejar o orçamento, tem 200 empresas e órgãos reguladores para dispor de cargos, vários bancos estatais. Então, por que esse cidadão que está há 40 anos nesse ramo, três vezes presidente da Câmara vai renunciar, abandonar o planalto e descer para planície e virar um cidadão comum”, afirmou

Maílson ressaltou que presidente Temer sabe manejar os recursos do poder. “O tempo joga a favor dele, quanto mais o tempo passa, mais esses casos vão ficando para trás e isso vai acontecendo num período de recuperação da economia.”

O ex-ministro disse acreditar que o governo consegue aprovar a reforma trabalhista e dois pontos importantes da reforma da previdência que são a idade mínima para aposentadoria e a unificação dos regimes previdenciários. “Se ele conseguir isso, mais a reforma trabalhista ele cumpriu sua missão no governo.”

Em relação ao julgamento da chapa Dilma-Temer no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Maílson disse que o processo tem mais de 1 mil páginas e o voto do ministro Herman Benjamin será pela cassação. “Mas haverá pedido de vistas, é um processo complexo, é natural que haja pedido de vistas e não tem nenhuma regra para quando voltar. Fica três meses, seis meses, tem vários recursos, bons advogados”, afirmou. Ele lembrou que se o governo perder no TSE pode recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal) e o processo recomeça.

Durante a palestra, Maílson da Nóbrega abordou o cenário político e econômico para 2017 e 2018. O ex-ministro falou sobre a conjuntura da economia e sua recuperação cíclica, as conquistas do Brasil, os mecanismos de monitoramento do poder com base no trabalho da imprensa, eleições e capacidade de mobilização da sociedade. Os desafios e as incertezas. O evento faz parte do seminário Construindo Rumos para o Brasil, promovido pela Fiemg em comemoração ao dia da indústria. Empresários, autoridades e representantes da sociedade civil participaram do evento.

Texto: Leonardo Leal

Notícias relacionadas