Destaque Expresso Política

Combate à violência contra o idoso é debatido em audiência na Câmara

Foto: Aline Rezende CMU

A questão do combate à violência contra o idoso foi tema de uma audiência pública realizada Câmara de Uberlândia na semana passada. A iniciativa do vereador Felipe Felps reuniu diversos representantes da sociedade civil como o Conselho Municipal do Idoso, Polícia Civil e Militar, Ministério Público Estadual, secretarias municipais de Saúde e Desenvolvimento Social, entre outros. O JORNAL de Uberlândia ouviu Felipe Felps e o presidente do Conselho Municipal do Idoso, o médico José Flávio Viana Guimarães. Leia abaixo as conclusões de ambos sobre o tema.

Felipe Felps, vereador.

Foto: Aline Rezende CMU

“No dia 15 de junho se comemora o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa. A data é um momento de reflexão sobre a postura da sociedade em relação ao idoso. A gente tem visto que a nossa pirâmide societária está se invertendo. As famílias têm ficado menores. A longo prazo, a população adulta vai chegar ao envelhecimento e teremos uma sociedade com mais pessoas idosas do que jovens.

“Não temos visto no nosso planejamento societário, uma política efetiva de proteção e garantias ao idoso. Então o chamado da audiência é discutir, desde já, o que temos feito em Uberlândia relacionado ao envelhecimento da nossa sociedade. O ganho maior dessa audiência foi colocar todos os agentes juntos pela primeira vez, falando sobre a mesma política.

“A partir do debate entre todos os agentes relacionados à questão da violência contra o idoso, o diagnóstico maior foi perceber que não existe um fluxograma. Não existe um mecanismo onde todos os agentes interagem. Vamos tentar, como próximo passo, criar uma rede de comunicação entre esses atores, gerando uma interação e cada um sendo consequência do trabalho do outro e não trabalhar sozinho dentro de sua esfera.

José Flávio Viana Guimarães, presidente do Conselho Municipal do Idoso.

Foto: Aline Rezende CMU

“O resultado da audiência foi legal porque teve uma participação interessante dos idosos. Praticamente, todos os agentes sociais diretos ou indiretos envolvidos com essa temática participaram do debate. No evento, surgiu um consenso que os agentes sociais vão continuar a conversa que vai desaguar num modelo de uma rede, de enfrentamento à violência contra o idoso em Uberlândia.

“A ideia é trabalhar ações de prevenção à violência e ao enfrentamento. O encontro foi uma ação importante que desperta essa necessidade dos agentes públicos sociais ligados a essa temática conversar.

“Cerca de 70% dos casos de violência contra o idoso acontece na própria casa do idoso, perpetrado ou por alguém que cuida ou por um familiar. A negligência é a forma de violência mais comum contra o idoso. Não fazer o que deve ser feito, em relação a cuidados e assistência. Muitas vezes, os idosos sendo vulneráveis, eles têm dificuldade de denunciar um familiar ou alguém que cuida.

“A gente percebe que quem está no entorno tem medo de sofrer alguma contra reação de quem agride o idoso. As pessoas têm um certo medo de ter o nome revelado. Porém, a denúncia é totalmente anônima. Não é preciso se identificar. Devido a isso, não temos estatísticas bem estruturadas”.

As denúncias de violência contra o idoso podem ser feitas pelo Disque 100, como também por meio de contato com o Conselho Municipal do Idoso pelo telefone 3236-3465, ou no Ministério Público Estadual na Promotoria de Proteção ao Idoso pelo telefone 3255-0050.

Texto: Leonardo Leal

Notícias relacionadas