Destaque Rock

O chifrinho do rock n’ roll vai virar patente?

Anderson Tissa, autor da coluna “Vida Longa, Baby”.
Imagem: Douglas Luzz

O cara que tornou esse gesto importante morreu há anos. Ronnie James Dio, conhecido pelas bandas Rainbow, Black Sabbath e Dio, faleceu em 2010 e está longe de ser o inventor da mão chifrada. Ele mesmo afirmou numa entrevista nos anos 90, que aprendeu o gesto com sua avó italiana. No país da bota, o sinal é usado para afastar ou lançar um mal olhado. Durante sua passagem pelo Black Sabbath, Dio, ao lado de Tommy Iommi, popularizou o chifrinho entre uma apresentação e outra da banda.

Apesar de muitos saberem dessa história, Gene Simmons, o maior caça níquel do rock n’ roll, parece dar de ombros e se auto-intitula o criador do símbolo. O baixista do Kiss está tentando de todas as maneiras registrar a mão chifrada como marca.

Simmons é conhecido como um dos maiores marketeiros do meio da música de todos os tempos. Sua banda está associada a uma infinidade de produtos, desde simples broches a produção de séries animadas. Para você ter uma ideia do alto poder comercial do Kiss, Stan Lee aceitou a ideia dos cabeludos e lançou uma revista em quadrinhos sobre os mascarados. A HQ vendeu 400 mil cópias, marca que a Marvel superou somente anos depois, em 1990, numa edição do Homem-Aranha.

De marketing o cara entende. Mas, afinal, será que o baixista de língua comprida vai conseguir registrar o chifrinho? Ele já pagou US$ 275 para poder usar o chifre para performances ao vivo por um artista musical. WTF? Quer dizer que agora somente ele pode fazer o gesto numa apresentação ao vivo? E por menos de trezentas pratas?

Existe uma possibilidade? Parece que existe sim. Será um caminho penoso e mesmo que consiga, poderá ainda encontrar questões que podem deixar a marca inaplicável. E Simmons sabe disso, o que nos faz pensar ser mais uma manobra publicitária genial do mascarado.

O que ele quer é que o público associe o símbolo à sua pessoa. Ego puro. Tal feito pode até ser alcançado, mas creio somente após sua morte (que quando ocorrer será o evento mais lucrativo do ano).

Por se tratar de puro marketing, esse assunto pode se estender a mais gente. Antes de Simmons e Dio serem estrelas do rock, John Lennon, ainda na década de 60, exibiu o chifrinho na capa do single Yellow Submarine / Eleanor Rigby. Ou seja, caso venha a existir uma discussão pela patente, a família do ex Beatle pode alegar que quem o incorporou no rock n’ roll foi o próprio Lennon. Aí vai ficar difícil para Simmons vencer essa queda de braço. Mas se vencer, não vai faltar surfista tentando registrar o hang loose.

Para a playlist, selecionei os três prováveis fictícios candidatos ao direito do registro do chifrinho do rock n’ roll.

Texto: Anderson Tissa

Notícias relacionadas