Destaque Rock

Bandas Trouxas para a festa de 20 anos de Harry Potter

Anderson Tissa, autor da coluna “Vida Longa, Baby”.
Imagem: Douglas Luzz

Antes de tudo, um recado aos desinformados: “trouxa” é uma expressão usada pelos bruxos do universo de Harry Potter quando se referem a nós, seres que não usam magia. Possível polêmica esclarecida, vamos em frente.

O bruxo mais querido do cinema, Harry Potter, acaba de completar 20 anos de idade. Dá para acreditar nisso? Passou muito rápido. Principalmente para quem acompanhou desde o início a saga de Hermione (my love), Rony e Harry. Li todos os livros, assisti e continuo assistindo aos filmes sempre que me deparo com algum deles trocando de canal na TV. O tempo voou. E quando penso que Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 (último filme da série) estreou no longínquo ano de 2011, da vontade de ter uma varinha mágica e realizar um feitiço para a vida passar um pouco mais devagar.

Como dizia Cazuza “o tempo não para” e num passe de mágica, estamos no vigésimo aniversário do personagem de J.K. Rowling. Para acompanhar os vários barris de cervejas amanteigadas na festa do bruxo, selecionei algumas bandas de rock que de certa maneira se envolveram com ocultismo, esoterismo, bruxaria ou coisa do tipo.

Raul Seixas, o maluco beleza, possuía uma ligação muito forte com os escritos de Aleister Crowley, um britânico que se dizia mago. Crowley foi citado em músicas de várias bandas, como Beatles, Stones, Black Sabbath e entre outras. Mas a obra de Raulzito tem inúmeras referências às ideias do bruxo inglês. Depois de ter contato com The Book Of The Law (O Livro da Lei), o baiano não parou de fazer canções mencionando misticismo e obscurantismo.

A mais famosa delas é Sociedade Alternativa. Neste hino do rock nacional, Raul fala da Lei de Thelema e dá um viva ao novo Aeon. Coisas de bruxo! Love Is Magick, Eu Nasci Há 10 Mil Anos Atrás, Loteria da Babilônia, O Trem das Sete, Gita, A Pedra de Gênesis e A Lei são outras músicas do cantor que citam algo místico.

Idolatrados por Kurt Cobain, Os Mutantes fizeram um registro histórico com Rita Lee, Arnaldo Batista e Sérgio Dias. O trio aparece vestido de bruxos e uma antológica foto do rock nacional. Todos de azul, com Rita em primeiro plano com seus enormes e hipnotizantes olhos claros, segurando uma flor vermelha. Para ver a foto clique aqui e aqui.

A Tianastácia também teve seu momento sobrenatural. Ao contrário do conto de fadas em que a princesa beija o sapo e o transforma em príncipe, a banda mineira compôs Sapo Antunes, uma crítica divertida sobre as dificuldades do dia a dia repleta de citações folclóricas. “A lua no homi faz o lobisomem, a bruxa condessa é mula sem cabeça”.

Muitas outras bandas mencionaram bruxaria em suas músicas. Season Of The Witch (Donovan), The Witches Promise (Jethro Tull), Witch Hunt (Rush) e outras. Existe uma infinidade delas. Mas duas delas me chamaram bastante atenção e vale o registro. Ambas foram formadas com a intenção de homenagear Harry Potter. Não são grandes bandas e também não são fantásticas, porém são divertidas e nos levam a viajar pelo mundo mágico de Hogwarts.

A primeira está do lado negro da feitiçaria e agracia o Comensal da Morte de Sonserina: Draco and the Malfoys. A banda possui álbuns no Spotify e Deezer. E a outra leva o nome do nosso protagonista e herói de Grifinória. Está é a Harry and the Potters. Também presente nas plataformas de streaming. Vale conferir.

Esta semana a playlist é toda dedicada ao bruxinho e para ouvir não precisa de nenhuma mágica, basta dar play.

Texto: Anderson Tissa

Notícias relacionadas