Destaque Editorial Expresso

Além da crise econômica, política e ética…

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Além da crise econômica, política e ética nacional, nós mineiros temos a tristeza de ver o principal político dos últimos tempos nas páginas policiais. Aécio Neves, com uma biografia como poucas, uma referência para nossa geração… Por onde se andava no País nos diziam: “Que bom, vocês mineiros e nós brasileiros temos Aécio”. Minas sempre foi celeiro de bons políticos e de heróis. Começando com Tiradentes e centenas de outros que chegaram ao plano nacional, por mérito e ética. Nós mineiros sempre fomos reconhecidos por muitos bons valores e produtos, mas com destaque por sermos bons políticos e gostarmos de queijo.

Aécio, deputado federal, exerceu com competência a presidência da Câmara dos Deputados. Governador por dois mandatos, fez seu sucessor, elegeu-se senador com uma grande votação, concorreu à presidência da República, indo para o segundo turno, presidente de seu partido, uma esperança. Temos perguntado várias vezes: “Por que, Aécio?”.
Aécio nasceu em uma cidade, em um estado que têm história, Belo Horizonte, Minas Gerais. Foi secretário particular do seu tio Tancredo Neves, que ocupou todos os cargos nos planos estadual e federal, o moderador que possibilitou as Diretas, o primeiro presidente da República depois da redemocratização, com seu jeito simples de viver. Há quem questiona se de fato conseguimos adotar um regime democrático até o momento, pelas bandalheiras a que estamos assistindo.

Aécio foi liberado pelo Conselho de Ética do Senado. Poderá se manter como senador, poderá ser absolvido pelo Judiciário, até, com o tempo, dar a volta por cima e se eleger a cargo público. Temos o caso emblemático de Fernando Collor, que foi cassado e hoje é senador. Mas Aécio não poderá mudar a história, nunca será o mesmo, possivelmente não entrará para a história como herói dos mineiros, como aconteceu com seu tio Tancredo Neves.

O JORNAL não se sente feliz em fazer esta matéria, gostaríamos de estar registrando este momento de forma diferente, voltando a um passado recente, quando a maioria dos mineiros tinha orgulho de Aécio. Ainda não foi julgado pela Justiça, porém, se errou, que pague na proporção do crime, que sirva de exemplo também nesse sentido. Mas a história de Minas é maior do que o que está acontecendo, vamos continuar cultivando o que temos de bom, construído por acertos, superiores aos erros. Temos orgulho das Minas Gerais.

Editorial – O JORNAL

Notícias relacionadas