Destaque Expresso Painel Política

Dois dos 27 vereadores não usaram a verba indenizatória no semestre

Economia total para os cofres públicos no período foi de R$ 268.280,40

Foto: Aline Rezende

Somente dois dos 27 vereadores não fizeram uso da verba indenizatória no primeiro semestre de 2017. O valor que os 25 parlamentares usaram foi de R$ 784.719,60. O valor disponível no semestre, considerando que cada parlamentar poderia usar R$ 6,5 mil por mês com material gráfico foi de R$ 1.053.000,00. Na comparação das despesas e receitas, a economia foi de R$ 268.240,00 de janeiro a junho. Os vereadores que não usaram a verba no semestre foram Adriano Zago e Antônio Carrijo.

As informações são do Portal da Transparência da Câmara de Uberlândia. Nele consta também que o valor disponibilizado total foi usado por três vereadores: Hélio Ferraz (Baiano), Vilmar Resende e Flávia Carvalho. Cada um fez uso de R$ 39 mil no semestre.

Adriano Zago destacou que a verba indenizatória é necessária para a atividade parlamentar, mas que ele, desde o primeiro mandato tem feito o uso racional desse recurso. “Estou entre os vereadores tanto desse mandato, como dos anteriores que usaram esse recurso da verba indenizatória de forma mais eficiente” disse e acrescentou que, “o momento atual em que o país passa por uma grave crise econômica requer um uso do recurso com parcimônia”.

Foto: Aline Rezende

Já Antônio Carrijo ressaltou que cada um tem uma maneira de trabalhar e de administrar seu mandato. “Não é porque eu não gastei a verba que eu tenho direito, é porque, dentro dos seis primeiros meses, estou avaliando todos os trabalhos. Tenho utilizado o material que a Câmara dispõe aos vereadores e trabalhando com a minha estrutura”, afirmou.

O uso da verba indenizatória foi justificado pelo vereador Hélio Ferraz (Baiano), devido ao trabalho que ele tem feito na periferia. “Sou um vereador atuante e trabalho com as pessoas que não tem voz e não tem representatividade, e por esse motivo faço uso da estrutura do gabinete que é transparente”.

Ele disse também que presta contas à população das suas ações. “Todo mês são 10 mil informativos que prestamos conta das ações à população e para isso tenho que utilizar a estrutura do gabinete e a verba indenizatória”.
Vilmar Resende afirmou que usa a verba indenizatória de acordo com a lei. “Usei a verba indenizatória para material gráfico, é uma média de 22 a 23 mil informativos que eu gasto há 20 anos” disse e acrescentou que hoje uma das coisas mais sérias que temos são os requerimentos e publicação deles aprovados e suas ações são uma forma de prestar contas à população.

A vereadora Flavia Carvalho não respondeu ao questionamento de O JORNAL sobre o uso da verba indenizatória até a publicação desta reportagem.

Em outubro de 2016, A Câmara aprovou mudanças no uso da verba indenizatória após recomendação do Ministério Público Estadual. No projeto aprovado, do valor total de R$ 10 mil, 35% devem ser licitados e 65% devem ser gastos com material publicitário do trabalho dos vereadores sem necessidade de licitação.

Veja abaixo o gasto com verbas indenizatórias de cada vereador de janeiro e junho de 2017:

Adriano Zago – R$ 0
Alexandre Nogueira – R$ 38.580,00
Antônio Carrijo – R$ 0
Hélio Ferraz (Baiano) – R$ 39.000,00
Ceará – R$ 38.310,00
Doca Mastroiano – R$ 31.260,00
Dra. Flávia Carvalho – R$ 39.000,00
Dra. Jussara – R$ 29.410,00
Felipe Felps – R$ 38.606,00
Isaac Cruz – R$ 38.950,00
Ismar Prado – R$ 19.500,00
Juliano Modesto – R$ 38.580.00
Marcio Nobre – R$ 38.750,00
Michele Bretas – R$ 38.959,60
Pamela Volp – R$ 6.405,00
Pastor Átila – R$ 12.610,00
Paulo César – R$ 30.100,00
Ricardo Santos – R$ 38.750,00
Rodi – R$ 32.400,00
Roger Dantas – R$ 25.950,00
Ronaldo Alves – R$ 32.150,00
Silésio Miranda – R$ 32.155,00
Thiago Fernandes – R$ 19.170,00
Vico – R$ 38.400,00
Vilmar Rezende – R$ 39.000,00
Wender Marques – R$ 38.935,00
Wilson Pinheiro – R$ 9.749.00

Texto: Leonardo Leal

Notícias relacionadas

1 comentário

  1. A evolução do jornal foi muito rápida. Parabéns a toda diretoria. Serei um leitor com mais frequência ainda. Abraços…

Comments are closed.