Cidade Destaque Expresso

Noções empreendedoras, cooperativistas e de educação financeira serão trabalhadas na rede municipal de ensino

Foto: Araípedes Luz – Secom PMU

Temas como empreendedorismo, educação cooperativista e educação financeira farão parte da realidade de alunos do ensino fundamental da rede municipal. O programa Aprender a Fazer, idealizado pela Prefeitura de Uberlândia, foi lançado na manhã desta sexta-feira (7) pelo prefeito Odelmo Leão no Centro Administrativo Municipal.O programa irá promover a capacitação de 350 professores, diretores, pedagogos, coordenadores e inspetores das escolas municipais para que os profissionais possam desenvolver conteúdos relativos aos temas em sala de aula.

De acordo com o prefeito Odelmo Leão, o programa representa uma mudança na forma de educar. “Estamos fazendo em nossa cidade o que espero que possa se refletir no país. Se nós não mudamos nossa educação, como vamos mudar o mundo? Tenho certeza que hoje é um dia histórico, que certamente ficará marcado quando esse programa atingir toda sua dimensão. Não adianta falar que a criança é o futuro se não dermos uma perspectiva a ela. Precisamos recuperar o respeito à família, ao Brasil e é isto que estamos tentando fazer”, disse o prefeito Odelmo Leão.

Multidisciplinar

Inicialmente, o programa será aplicado pelos educadores com alunos do 5º ano em 56 escolas da rede, com foco no empreendedorismo, em parceria com o Sebrae. A metodologia vai estimular cerca de cinco mil alunos a buscarem de forma autônoma o aprendizado de conceitos, conhecimentos e técnicas a partir da resolução de situações-problema. Esse método está fundamentado em um dos quatro pilares educacionais da Unesco num âmbito de educação de qualidade em âmbito internacional.

A secretária municipal de Educação, Célia Tavares, explica que a escolha em trabalhar o conteúdo com alunos desse período se deve à passagem do primeiro ciclo do fundamental para o segundo ciclo. “É o período no qual os alunos têm acesso a assuntos como comércio, indústria e desenvolvimento da cidade. Com o programa, eles terão algo prático e enriquecedor relacionado ao conteúdo de sala de aula. O professor regente, ao ser capacitado, vai aplicar o tema em sala de maneira interisciplinar”, detalhou. A primeira capacitação acontecerá na próxima segunda-feira (10).

Para o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação, Dilson Dalpiaz, o programa levaráao ambiente escolarum conteúdo que vai além das disciplinas tradicionais. “O Aprender a Fazer integra o conceito da transversalidade da educação. A economia mudou consideravelmente nas últimas décadas e o emprego formal é cada vez mais limitado. Por isso, é imprescindível fomentar o espírito empreendedor no jovem. Importante ressaltar que é um programa que está alinhado às diretrizes da Unesco e que tem uma abrangência ampla, que ainda deverá agregar outras parcerias para contemplar mais vertentes da educação universal da criança”, comentou. Ele aproveitou para explicar que os módulos relacionados ao cooperativismo e à educação financeira serão desenvolvidos no decorrer deste ano em parceria com outras instituições.

Jovens empreendedores

A analista técnica do Sebrae Fabiana Queiroz destacou que o intuito do programa é qualificar o professor para desenvolver o ensino voltado à geração de trabalho e não de emprego. Para a analista, é necessário preparar pessoas para que elas possam empreender, começando por crianças e jovens para propor soluções inovadoras e desenvolver o próprio trabalho.

“O Sebrae entra com uma metodologia de formação junto aos educadores. Estamos com este foco, trazendo profissionais de ponta para preparar os professores em empreendedorismo, mostrar novidades relativas ao mundo do trabalho, tecnologias e outros assuntos que envolvem e fazem com que os alunos se integrem a esse processo de aprendizagem”, expôs.

Compromisso com Uberlândia

Durante a solenidade, o prefeito Odelmo Leão aproveitou para falar sobre os desafios dessa gestão.Um deles diz respeito a uma notificação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que comunica que Uberlândia está impedida de receber repasses do governo estadual devido à perda do Cadastro Geral de Convenentes do Estado (Cagec). O Cagec habilita os municípios mineiros a firmar convênios com o estado e, sem ele, Uberlândia fica impedida de ser beneficiada por emendas parlamentares, assinatura de termos e transferência de recursos. A perda do certificado foi consequência das contas não pagas (restos a pagar) de 2015 para 2016 e de 2016 para 2017, que era de responsabilidade da antiga gestão.

O prefeito reforçou que as dívidas não honradas nos anos anteriores têm incidência direta no orçamento do exercício atual. “Só de salários atrasados, já pagamos mais de R$ 70 milhões e só de contas atrasadas, que não são desse exercício, já quitamos mais de R$ 53 milhões. Tudo isso retirado do orçamento deste ano. Isso significa que deixamos de aplicar em outros benefícios para pagar uma conta que deveria ter sido quitado no exercício anterior”, salientou Odelmo Leão.

O líder do Executivo também comentou o rombo deixado no Instituto de Previdência dos Servidores Municipais (Ipremu) e os investimentos de mais R$ 350 milhões de contribuições previdenciárias em fundos que não darão retorno.“Estamos pagando os atrasados e vamoshonrar os compromissos até o fim. Isso está sendo um esforço diário”, concluiu Odelmo Leão.

Texto: Secom PMU

Notícias relacionadas