Cidade Destaque Expresso

Recuperação judicial do Hospital Santa Catarina é aprovada, mas minoria apresenta voto separado com reivindicações

O plano de recuperação judicial do Hospital Santa Catarina foi aprovado em assembleia extraordinária dos acionistas do hospital, na manhã desta quarta-feira (12). Apesar da aprovação, a Associação dos Acionistas do Hospital Santa Catarina, que detém minoria das cotas, apresentou voto em separado e algumas reivindicações, como a transparência, troca da atual diretoria, manutenção do corpo clínico e apresentação do plano de recuperação para os médicos, durante a elaboração.

Segundo o diretor-presidente do hospital, Placidino Stábile de Oliveira, a realização da assembleia foi para cumprir uma exigência legal da recuperação judicial, uma vez que a mesma precisa ser referendada em assembleia. Na ocasião, também foi feita a eleição do diretor técnico do hospital e da remuneração dele. Essa votação também teve voto contrário do grupo minoritário.

Em relação às reivindicações, Placidino disse que, “não cabe nesse momento porque a assembleia é somente para definir dois pontos”. Ele acrescentou que o plano de recuperação será apresentado em juízo e que há médicos dispostos a trabalhar. “O hospital não tem objeção a nenhum médico e está à disposição do grupo minoritário”, afirmou.

O presidente da Associação dos Acionistas do Hospital Santa Catarina, Eduardo Braga Pereira, destacou que é a favor da recuperação judicial desde que as reivindicações sejam atendidas. “Somos a favor desde que sejam adotadas as medidas de governança corporativa, substituição da dessa diretoria que levou o hospital a essa situação falimentar, inclusive com a gestão sendo colocada pela justiça como criminosa. Queremos também a manutenção do corpo clínico do hospital e que o plano de recuperação judicial seja apresentado para nós médicos, durante a elaboração do mesmo”, afirmou.

Braga disse também que a minoria votou contra a escolha do diretor técnico Tiago Felice, “que não é cotista do hospital, nem faz parte do corpo clínico”. Ele acrescentou que o grupo minoritário vai dar seguimento às ações na Justiça. Durante a assembleia também foi informado que o passivo do hospital é da ordem de R$ 38 milhões, sem contar as dívidas tributárias.

Texto: Leonardo Leal

Notícias relacionadas

1 comentário

  1. Ótima reportagem da Assembléia hospital Santa Catarina.
    Seria ótimo se fizerem a reportagem sobre os fatos que levaram o hospital Santa Catarina a fechar as portas. Obrigado

Comments are closed.