Editorial Expresso

A importância das enquetes para você, Leitor

Foto: Pixabay

Para enquetes, utilizamos aqui o conceito da Agência Senado, que realiza pesquisas e enquetes a fim de saber a opinião dos brasileiros sobre temas de grande alcance: “A enquete é uma sondagem, já que não há segmentação dos entrevistados/participantes. A média das opiniões reflete o parecer somente daqueles que responderam às questões, a iniciativa da participação fica a cargo do público”.

Como explicamos anteriormente, as enquetes são diferentes das pesquisas, mas de grande importância para que faz, para quem responde e principalmente para quem é avaliado. Uma ferramenta utilizada no mundo todo. O único objetivo das nossas enquetes é ser um canal entre a população e os responsáveis por oferecer serviços, seja na área pública, seja na área privada.

Para quem é avaliado, se tiver autocrítica e, de fato, a intenção de oferecer o que a comunidade deseja, será de extrema importância, porque poderá corrigir sua postura, sua atitude e o que está oferecendo. Para quem responde, a enquete é o canal para avaliar, reivindicar, dar diretamente as suas contribuições a fim de melhorar a sua cidade e até o seu país, e de compartilhar a sua forma de agir como cidadão nas redes sociais, que hoje são a mais poderosa mídia. As pessoas têm consciência de que as redes sociais são a ferramenta mais eficaz do cidadão, superiores às demais mídias e mais fortes do que o voto.

As enquetes realizadas por O JORNAL, de forma independente e transparente, têm recebido elogios da população. Vamos continuar, porque nasceram com este veículo, são sua ferramenta, leitor, e do O JORNAL. É necessário que os analisados recebam de forma positiva as críticas e os elogios como contribuições para corrigir ou mesmo mudar a sua postura. No caso de alguns políticos ou dirigentes, podem servir até para deixar o cargo ou fechar a sua empresa – talvez seja o ato mais nobre da sua carreira, porque quando alguém não consegue representar ou gerenciar um negócio, por vocação ou competência, sair é um ato inteligente.

Editorial  O JORNAL

Notícias relacionadas