Destaque Esportes Expresso

Com três medalhas, Rodrigo Parreira encerra participação em Mundial

Brasil terminou em 9º lugar no quadro geral com 21 medalhas

Premiação dos 100 metros rasos neste domingo. Foto: Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)

Neste domingo, 23/7, aconteceu o encerramento do Mundial de Atletismo Paralímpico, realizado em Londres. O Brasil terminou em 9º lugar no quadro geral com 21 medalhas e Rodrigo Parreira, paratlela que treina em Uberlândia, foi um dos destaques: conquistou medalhas nas três provas que participou: salto em distância, 100 e 200 metros rasos.

Na última segunda-feira, 17, Parreira competiu a final dos 200 metros rasos e conquistou o bronze com uma chegada emocionante! Rodrigo se jogou no chão para atravessar a linha de chegada na frente do adversário. Nessa mesma prova, o paratleta ainda marcou o novo recorde das Américas, com o tempo de 25s19. “Eu bati meu tempo e ainda consegui a medalha. Quando eu caí na chegada achei que tivesse ficado em quarto, o que já estaria de bom tamanho. Foi uma prova difícil, mas valeu a pena me jogar no chão!”, revela Parreira.

Queda na chegada dos 200 metros rasos. Foto: Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)

No dia seguinte, ainda com fita fisioterápica no braço, Rodrigo participou da final do salto em distância e repetiu o feito das Paralímpiadas Rio 2016, conquistando a medalha de prata com a marca de 5,55 metros. “Consegui passar o australiano, Brayden Davidson, que ficou na minha frente no Rio. A concentração foi total e valeu a pena cada segundo.”

A última medalha foi conquistada no sábado na prova dos 100 metros rasos. Depois de sentir dores na perna durante a semifinal, Rodrigo chegou a ser dúvida, mas fez uma prova brilhante. Além do terceiro lugar ele garantiu o Recorde das Américas com o tempo de 12s28.

Parreira chega a Uberlândia na próxima quinta-feira, 27, e está ansioso. “Estou muito feliz de voltar com três medalhas! Agradeço o apoio de todo mundo que torceu por mim! Agora é comemorar e continuar treinando para as próximas competições”, revela.

Momento do salto que garantiu a medalha de prata. Foto: Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)

 

Texto:Agência POD1UM

Notícias relacionadas