Cidade Destaque Expresso

Unidades de saúde aperfeiçoam atendimento com uso de smartphones

Ferramenta estreita comunicação com população atendida na atenção primária

Foto: Divulgação/SecomPmu

Desde o mês passado, as consultas do pré-natal e as reuniões mensais do grupo de gestantes, que acontecem na Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) do bairro Jardim Europa, são requeridas e marcadas nas conversas do aplicativo de mensagens que a vendedora Priscila Lemos tem em seu smartphone.

Mais do que organizar os compromissos, a vendedora vê no aplicativo uma forma de compartilhar experiências com outras gestantes assistidas pela unidade.
“O grupo de gestantes que acontece na unidade sempre foi bom, mas, agora que temos as participantes em um grupo no celular, facilitou ainda mais nossa vida. Podemos trocar experiências diariamente e tirar dúvidas uma com as outras. Dessa forma, nos ajudamos durante esse período que é tão importante, principalmente para as mulheres que estão na primeira gravidez”, explicou Priscila.

A interação entre a comunidade e as unidades de saúde dos bairros de Uberlândia só foi possível após a Secretaria Municipal de Saúde entregar 80 smartphones para as equipes. Os aparelhos foram doados pela Associação Comercial e Industrial de Uberlândia (Aciub) no início do ano e auxiliam no controle das marcações de consultas, bem como na melhora do atendimento aos usuários na prestação dos demais serviços oferecidos pelas unidades.

Segundo a coordenadora da atenção primária em saúde, Ana Rita Faria, os aparelhos são um ganho para a secretaria continuar priorizando a qualidade no atendimento e o acesso da população. “Um dos pilares do projeto Qualifica SaUDI é ampliar o acesso da comunidade à saúde. Então o uso dos smartphones está nos ajudando nesse sentindo. Além disso, estamos vivendo um momento diferente e precisamos de soluções inovadoras para facilitar a dinâmica de trabalho nas unidades”, comentou.

Foto: Divulgação/SecomPmu

Mais proximidade

A ampliação do acesso à comunidade já é algo que as coordenadoras das unidades percebem. Responsável pela Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) Canaã III, Raquel Laiza Rocha iniciou com os atendimentos via aplicativos com as gestantes, por ser um público que tem mais dúvidas. Com poucas semanas em funcionamento, o retorno foi positivo. “Fizemos uma pesquisa com elas e todas disseram que a ideia foi aprovada, pois melhorou a comunicação. Elas conversam, tiram dúvidas e pegam informações todos os dias, e não mais uma vez no mês nos encontros presenciais”, relatou a coordenadora.

Para Gerusa Tomaz Faria, do bairro Jardim Europa, a população está vendo no uso dos smartphones uma maneira de ter informação mais rápida e de acolhimento permanente. “Foi uma estratégia para aumentar a adesão das pessoas, que viram no aplicativo de mensagem pelo celular um acesso rápido à equipe de saúde. Agora nós avisamos de entrega de exames, das vacinas, agendamento de consulta, além dos grupos de gestantes, puericultura, tabagismo e hipertensão e diabéticos. Foi um ganho muito importante, nos fortaleceu com a comunidade”, finalizou.

 

Texto: Hismênia Keller / Secom PMU

Notícias relacionadas