Destaque Música Rock

E se você fosse um rockstar à brasileira?


Caso se torne um já sabe o que fazer.


Anderson Tissa, autor da coluna “Vida Longa, Baby”.
Imagem: Douglas Luzz

MC Catra seria seu companheiro de balada? Diria a imprensa que saiu com Anitta mais de uma vez? Que esnobou várias Panicats? Que projetou a maioria das Bailarinas do Faustão? Convidaria Serginho Mallandro para estrelar o clipe de uma música sua? Participaria do BBB? Da Banheira do Gugu? Do Passa ou Repassa?

Daria uma festa que fizesse Chiquinho Scarpa parecer apenas uma criança de colo? Afirmaria que nem Mussum o venceria num duelo de shots? Beberia no túmulo de Raul Seixas em todo aniversário do defunto? Sairia para um rolê com Rita Cadilac e Alexandre Frota? Causaria, contando ter participado de uma orgia com prostitutas ao lado de Luciano Huck, e o apresentador, na ocasião, teria usado somente o nariz?

À noite, sairia para pregar peças nas pessoas fantasiado de Bozo? Chamaria Evaristo Costa, antes de se demitir, de maricas? E depois do afastamento, de “o jornalista marica mais rock n’ roll da Globo”? Trocaria farpas semanais com Danilo Gentili no Twitter? Assumiria um romance setentista com Ney Matogrosso? Revelaria que as cambalhotas dadas pelo Vampeta no Planalto foi ideia sua?

Daria uma cantada de pedreiro em Marcela Temer na frente do presidente? E depois chamaria Dilma de princesa? Não satisfeito, mandaria um recado para Marina subir no seu jequitibá? Convocaria Bolsonaro para uma disputa estilo Faroeste Cabloco? Mandaria matar Caetano Veloso, mas depois desmentiria dizendo que o mandante foi Lobão?

Se casaria, nesta semana, com a Gretchen, e, na semana que vem, com Fábio Jr? Escreveria para a Playboy, contando que seu maior desejo sempre foi chupar a pinta da Angélica? Dormiria com Sheron Menezes, e acordaria com Alcione? Mandaria implantar em você o DNA de Rodrigo Hilbert?

Iria até as últimas consequências contra os imortais da ABL, solicitando uma cadeira cativa, principalmente depois da letra primorosa do seu último hit de verão? Num show em Olinda, chamaria todo Nordeste de Bahia? Jamais, em hipótese alguma, assumiria ter ido em Caldas Novas? Organizaria expedições na Amazônia com a tentativa de encontrar o Acre? A pé até Romaria? Que nada, roqueiro vai do Oiapoque ao Chuí. Se inscreveria num curso de personal coaching em Uberlândia?

Faria voto de castidade no Carnaval, mas tiraria o atraso na Semana Santa? Ao pensar na Cleo Pires, ligaria na hora para um delivery e pediria um prato que dá para dois?

O que você faria? Que tal, caçoar das cidades que não tem Carrefour? Ou tomar algumas doses de pinga sentado no Barolo ao lado do Paulão da Bicota? E para encerrar, sairia sem pagar?

Se você realmente fosse um rockstar não perderia mais nenhum minuto do seu tempo com esta coluna, e dava iria ouvir essa playlist no volume máximo.

Texto: Anderson Tissa
Foto: Divulgação

Notícias relacionadas