Destaque Expresso Política

Temer tem vitória no Congresso, deputados da região divergem em votação e assunto repercute na Câmara

Na quarta feira (02), a Câmara de deputados rejeitou a autorização para que o Supremo Tribunal Federal julgue a denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer. O governo conseguiu 263 votos para o arquivamento da acusação. Os votos pelo prosseguimento da denúncia foram de 227 deputados.

Com a decisão, a denúncia contra Temer só poderá ser analisada após sua saída da presidência. Na região, o deputado federal Tenente Lúcio votou pelo arquivamento. Já Weliton Prado votou pelo prosseguimento. O JORNAL de Uberlândia ouviu vereadores ligados aos deputados sobre o voto de cada um e a vitória de Temer no Congresso. Leia abaixo.

Vereador Felipe Felps (PSB)

Foto: Aline Rezende / CMU

“Em relação à questão do partido, o alinhamento do PSB tinha posicionado aos deputados para eles se colocassem ao favor do prosseguimento da denúncia, que fosse feita a investigação. Nós estamos vivendo um momento político muito crítico. Então, se tem uma denúncia de corrupção contra o presidente da república e não se abre um processo de investigação para que a gente tenha a tranquilidade e a segurança de ter um presidente que é idôneo ou não, é uma questão preocupante para nós como agentes políticos. Porque todos somos alvos e a credibilidade é muito pequena”.

“Ter essas manobras que foram feitas para que não se investigue, é uma coisa muito ruim para o cenário político independente de o presidente Temer ser corrupto ou não. Porque esse mérito quem vai levar será o Judiciário, quando ele sair da presidência”.

“Pessoalmente, a minha posição é que a denúncia deveria ser apurada. É muito temerário termos um presidente da república com uma denúncia em aberto. Não temos a segurança política de termos um gestor idôneo”.

“Em relação à pergunta específica ao voto do Tenente Lúcio que é o deputado federal do PSB, não tive alinhamento com ele, não conversei com ele com relação ao voto. Ele tem os alinhamentos políticos em relação ao momento em que está passando. Como partido, vai ter o momento correto para a gente conversar e entender todo esse cenário.”

Vereador Ismar Prado (PMB)

Foto: Aline Rezende / CMU

“Ao votar pelo prosseguimento da denúncia, o deputado federal Weliton Prado não fez mais do que a obrigação dele. Ele foi coerente à votação. Foi o único deputado que na saída da presidente Dilma, ele disse: fora Dilma, fora Temer e fora Cunha. Ele usou coerência desde lá trás até o presente momento. O país está uma vergonha, está sendo vendido. “

“A vitória do presidente Temer se deve às manobras que o governo têm. Muitos recursos, anistiou dívidas da bancada ruralista. Essas são as armas que o governo têm. Ele se mostrou um grande articulador. Infelizmente o Brasil está vendo. As pessoas estão enxergando o que está acontecendo”.

 

 

Texto: Leonardo Leal

Notícias relacionadas