Estilo de Vida Expresso Foco

Você foi convidado?

Foto: Bruna Barcelos

Existem diversos tipos e modelos de eventos, mas para todos eles existem regras básicas do que não fazer. Muitas perguntas em relação à etiqueta são feitas diante desse tema. Então, vamos às dicas.

1- Convite é pessoal: primeiro ponto que devemos ter em mente é que o convite, seja ele qual for, é pessoal e intransferível, ou seja, se você recebeu o convite, é você quem deve ir, ou não, ao evento.

2- Representações: no mundo corporativo existe muito isso. A autoridade é convidada e delega a um representante que vá ao evento, representando a instituição. É elegante a pessoa que for convidada mandar uma carta agradecendo o convite e indicando uma pessoa para representá-la. Porém, devemos ter o cuidado de atentar para que essa pessoa seja autoridade no tema do evento. Contudo, não é toda autoridade que pode se fazer representar.

3- Penetras: antigamente a pessoa convidada se sentia no direito de convidar mais sete pessoas. Porém, a etiqueta reza o contrário. Você é convidado e não tem o direito de convidar ninguém a mais. Portanto, ser penetra em qualquer situação é, sim, muito deselegante. Primeiro, porque a pessoa que convida já providenciou o buffet para a quantidade de pessoas que ela gostaria. Segundo, porque é deselegante e ponto final.

4- Penetras que querem ser o centro das atenções: pior do que ser penetra é ser um penetra que deseja ser o centro das atenções. Chega chamando atenção de todo mundo, falando alto e achando que é o dono do evento. Isso é extremante deselegante e desnecessário.

5- Autoconvite: nunca diga a famosa frase: “Nossa, você nem me convidou”. Isso é mais deprimente ainda. Se aconteceu uma festa ou ainda vai acontecer, nunca, jamais, em hipótese alguma, se autoconvide. Além de deselegante, é descortês e comprova o seu desprestígio diante daquele anfitrião. O correto é agir naturalmente. Caso a pessoa não te convide, fique na sua e não se sinta ofendido, afinal, com a vida corrida que temos hoje, isso é muito fácil de acontecer. E não necessariamente é porque a pessoa não gosta de você ou coisa parecida.

O correto em relação a esse tema é sempre prestar atenção aos eventos para os quais você é convidado e nunca parecer o famoso “arroz de festa”. Analise bem seus convites, se é pertinente ou não sua presença, e jamais se faça representar por alguém, caso você não seja uma autoridade. E lembre-se, nunca convide ninguém, se você não for o dono do evento. Penetras, se liguem!

 

Texto: Bruna Barcelos, consultora comportamental
www.brunabarcelos.com.br

Notícias relacionadas