Cidade Expresso Foco

Trabalhadores das empresas de ônibus suspendem greve após audiência na Justiça do Trabalho

Sindicato das empresas ficou de apresentar em 10 dias um estudo sobre quais linhas vão continuar com cobradores

Foto: Divulgação

Os trabalhadores das empresas de ônibus que haviam paralisado suas atividades na madrugada desta quarta-feira (23) decidiram em assembleia pela suspensão da greve após uma audiência de conciliação realizada na Justiça do Trabalho na manhã desta quarta-feira, com representantes do Sinttrurb (Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Uberlândia) e do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Uberlândia (Sindett), José Luiz Rissato.

O sindicato dos trabalhadores reivindica a manutenção dos cobradores de ônibus. Na audiência, ficou decidido que o sindicato das empresas vai fornecer à Justiça no prazo de dez dias, um estudo sobre o número de linhas em funcionamento e quais permanecerão com cobradores, a partir dos critérios de número de usuários, pagamentos em cartão e em dinheiro e os respectivos horários de funcionamento das linhas.

Após esse estudo o sindicato dos trabalhadores têm cinco dias para questionar o estudo e demonstrar seu ponto de vista. O objetivo é fazer um cruzamento dos dados dos dois sindicatos para se chegar a um consenso de quantos cobradores deverão ser mantidos.

Presente na audiência o procurador do Ministério Público do Trabalho, Paulo Veloso, destacou a importância de um acordo entre as partes. “O Ministério Público espera que haja conciliação entre as partes preservando a função de cobrador naquelas linhas em que são essenciais de modo a encerrar o movimento paredista e resolver o conflito estabelecido em razão da possível dispensa dos cobradores”, afirmou.

O presidente do Sinttrurb, Marcio Dúlio de Oliveira, ressaltou que a proposta construída na audiência foi aceita pelos trabalhadores e a greve fica suspensa até o dia 13 de setembro, quando haverá uma nova audiência de conciliação, já com os estudos de ambas as partes.

Já o presidente do Sindett (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Uberlândia), José Luiz Rissato, disse que o estudo sobre quais linhas devem permanecer com cobradores decorreu de uma solicitação do promotor do MPT , e visa esclarecer as informações sobre as linhas. “A retirada dos cobradores vai acontecer, será gradual, contínua, mas dentro de parâmetros. Vamos apresentar um estudo como é a demanda de cada linha de ônibus. Hoje, não temos condição de tirar um cobrador de uma linha que tem uma demanda alta de passageiros. Agora se a demanda for reduzida, ou o número de pagantes em dinheiro reduzir consideravelmente, nesse caso posso tirar o cobrador”.

Em relação ao acordo com o sindicato dos trabalhadores, Rissato disse que já existia, foi assinado e discutido na convenção coletiva. Ele acrescentou que está havendo um acordo paralelo, na tentativa de mostrar para a Justiça quais as linhas que são possíveis manter os cobradores nesse momento ou no futuro.

Texto: Leonardo Leal

Notícias relacionadas