Cidade Destaque

População recebe orientações sobre malefícios das queimadas

Em parceria com órgãos ambientais, dois estandes de orientação serão montados na Praça Tubal Vilela

Foto: Pixabay

No dia que Uberlândia completa 129 anos, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento urbanístico realizará, em um dos cartões postais da cidade, uma ação de conscientização sobre os malefícios provocados pelas queimadas. Das 10 às 16h do próximo dia 31, agentes do Núcleo de Educação Ambiental do município desenvolverão atividades educativas na praça Tubal Vilela, em conjunto com o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar de Meio Ambiente e Instituto Estadual de Floresta (IEF).

Serão montados estandes onde as diferentes instituições mostrarão as conseqüências devastadoras dos incêndios para a fauna, flora e saúde pública. O trabalho contemplará uma série de explicações à população sobre a importância de colaborar com o meio ambiente. No local, agentes do município darão detalhes do trabalho de educação ambiental e de fiscalização realizado pela Prefeitura. A Polícia Militar de Meio Ambiente complementará as informações trazendo, entre outros aspectos, as leis que regulamentam as queimadas no Brasil.

O Instituto Estadual de Florestas (IEF) mostrará, na prática, as perdas provocadas pelo fogo em uma vegetação. Na oportunidade, será exibido um vídeo que mostra a devastação de centenas de hectares do Parque Estadual do Pau Furado, em Uberlândia, que foi alvo de um incêndio de gigantescas proporções no fim de julho deste ano. Após as chamas, mais de 300 hectares de área ficaram comprometidos.

Já o Corpo de Bombeiros fará uma exposição com alguns de seus materiais usados no combate ao fogo. Os militares também darão dicas à população sobre a melhor forma de evitar focos de incêndio e quais as melhores alternativas para um eventual e necessário combate das labaredas.

Cidade reduz índice de queimadas

 Dados mais recentes do Corpo de Bombeiros apontam que Uberlândia registrou, até o fim de julho deste ano, 257 incêndios florestais, que incluem áreas como terrenos urbanos particulares, espaços de produção agrícola e até locais de reflorestamento. Desses, 128 focos aconteceram em área urbana. O número apresentou redução em relação ao mesmo período de 2016, quando os militares precisaram combater 314 ocorrências.  Na oportunidade, 143 chamados foram atendidos em áreas urbanas.

A coordenadora do Núcleo de Educação Ambiental, Lorena Crepaldi, explica que a redução está ligada diretamente ao trabalho realizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico desde janeiro. O órgão municipal tem planejado ações em parceria com os órgãos competentes, no intuito de aprimorar prevenir, orientar e fiscalizar.

“Estamos trabalhando com abordagens práticas e diretas para promover a conscientização de toda a população. Conseguimos êxito e vamos continuar aprimorando ainda mais trabalhos e parcerias para fazer com que os resultados sejam melhores”, explicou.

Fonte: Secom PMU

Notícias relacionadas