Destaque Economia Expresso

O contexto empresarial

Hélio Mendes é professor e consultor de Planejamento Estratégico e Gestão. Foto: Divulgação

O contexto empresarial é o ambiente da sociedade das organizações. A preocupação da maioria dos empresários, como não poderia ser diferente, é com a própria organização e muito pouco com o entorno desta. Este aspecto, na maioria das vezes, é delegado ao poder público: a segurança, sistema viário, ocupação do solo, saúde, educação e muitos outros que fazem parte do contexto empresarial.

As associações de classe foram criadas para atuarem de forma segmentada – o que as leva, na maioria das vezes, a agirem de forma parcial, por mais estruturadas que sejam. Quando tentam agir em pool, as características individuais as dificultam ter velocidade e a força desejada.

Em nossa opinião, o contexto ou ambiente em que as organizações atuam é tão importante como o próprio negócio. Hoje é visível esta afirmação. Temos em Uberlândia vários setores que não atuam mais só no plano local. Por exemplo, o grande atacado distribuidor, dependem das estradas brasileiras que hoje estão “sucateadas”. Seus caminhões viajam por todo o Brasil com sistema de monitoramento ou com escolta – o que onera o consumidor final, compromete a competitividade dos negócios e nem sempre está ao alcance de todos.

O maior responsável pelo contexto são os governos nos três planos, mas sabemos que só a ação governamental não é mais suficiente. Há necessidade das empresas, instituições de ensino e a população, como um todo, contribuir de forma planejada. Assim, as demandas vão ser melhor atendidas não apenas com críticas, mas com contribuição sistematizada, não só mais através das associações e governos. Entretanto somente quando a população se sentir dona das coisas públicas, porque uma pessoa quebra um banco de uma praça, comete um ato de vandalismo não é só por falta de educação ou de desvio de comportamento, acredito que, na maioria das vezes, é pela falta de consciência de que aquele bem público também lhe pertence. Estamos sempre esbarrando na educação, mas esta não é a única responsável. O que pesa mais é o exemplo. Este está ao alcance de todos, apesar de ser difícil falar em exemplo hoje, quando assistimos o dinheiro público ser usado de forma vergonhosa por parte significativa dos nossos representantes. Mas podemos piorar ou melhorar com o que está acontecendo. Acredito que vá melhorar.

Como otimista, cultivo a crença de que toda crise tem o seu lado bom. Muitos empresários, que antes olhavam apenas o seu negócio, já estão se interessando pelo contexto e pelos temas nacionais. Acredito que as associações serão fortalecidas e teremos um Brasil melhor.

A relação entre as organizações, sejam estas públicas ou privadas, vai melhorar. Temos necessidade de projetos globais e estes não são construídos por uma organização apenas e, se o for, não poderá ignorar o contexto em que está inserida, porque, se não houver um comprometimento maior, a ação não terá o benefício esperado. Preocupar com o ambiente externo é tão importante como preocupar como o interno

 

Texto: Hélio Mendes
Prof. e consultor de Planejamento Estratégico e Gestão.  

Notícias relacionadas