Destaque Expresso Nacional

Técnico Tite muda relação da seleção brasileira com fãs

Ultima partida das Eliminatórias para a Copa do Mundo, nesta terça-feira (10), às 20h30, confirma quem é o protagonista da seleção brasileira

Foto: Newton Menezes/Futura Press/Folhapress

A última partida das Eliminatórias para a Copa do Mundo, nesta terça-feira (10), às 20h30 (de Brasília), confirma quem é o protagonista da seleção brasileira. Do banco de reservas no Allianz Parque, o treinador Tite comanda o Brasil diante do Chile com a vaga assegurada no Mundial e decisões respaldadas pelo grupo de atletas, CBF, torcida e boa parte da crítica.

Enquanto as demais seleções sul-americanas se dividem entre eliminadas e ainda aspirantes a uma posição no Mundial, o Brasil vive confortável com sua vaga garantida na Rússia há três partidas. Esse status, além de dar tranquilidade, também permite ao treinador impor ideias sem grandes questionamentos internos.

Diante de um grupo de atletas que ainda tem vários pretendentes a uma convocação para a Copa, Tite prefere a manutenção da mesma equipe. Contra o Chile, o último jogo oficial antes da estreia na Rússia, o único efetivamente a receber essa oportunidade é o goleiro Ederson. Alex Sandro se mantém na lateral, mas só porque Marcelo e Filipe Luís estão lesionados. Uma chance no Mundial para ele é algo remoto no momento, salvo problema com a dupla que domina a posição.

Com duas vitórias nas cinco partidas disputadas desde que a vaga ao Mundial foi assegurada, Tite sabe que sua equipe ainda precisa se fortalecer coletivamente e encontrar alternativas. Apesar da invencibilidade nas Eliminatórias, o treinador cobra seriedade dos titulares contra o Chile e busca crescimento. Nesse sentido, a principal figura do time tem um papel especial.

Exaltado por Tite a cada entrevista, Neymar recebe atenção do chefe. Antes de duelo contra a Bolívia, o treinador se reuniu com o camisa 10, acompanhado de Daniel Alves, e reforçou que espera dele uma postura de líder técnico do time, mas sereno e sem excessos cometidos em outros momentos. De modo geral, os pedidos têm sido atendidos.

Tite também falou abertamente sobre a briga de Neymar com Cavani no PSG. O treinador brasileiro não tomou partido no episódio e deixou claro que ele passou despercebido pelo ambiente da seleção, mas afirmou ter torcido e vibrado pelas interações positivas de ambos, como um abraço depois de gol do brasileiro contra o Bordeaux, no dia 30 de setembro.

Neymar, por sua vez, afirma pública e internamente que se encanta pelo estilo de comando de Tite, a quem descreve como o melhor treinador com quem já trabalhou, logo após um período de algumas rusgas com Dunga. A abertura para conversar sobre o time é um dos pontos que reforça esse sentimento no craque.

Um episódio importante entre Neymar e Tite foi o uso da tarja de capitão contra o Paraguai, em março, depois de alguns pedidos de Tite ao atacante para que aceitasse voltar à função. Viver em um ambiente sem cartilhas rígidas, embora com regras básicas, é outro item que deixa o camisa 10 à vontade dentro da seleção atual.

SÃO PAULO
Se no passado já provocou alguns calafrios dentro da CBF, a segunda visita a São Paulo dentro da mesma temporada é outra novidade que vai na direção do atual treinador. A capital paulista sempre foi vista como a torcida mais crítica com a seleção, mas a figura de Tite, ainda que ídolo do rival Corinthians, fortaleceu a escolha para que o jogo fosse na casa do Palmeiras, o Allianz Parque.

Uma festa especial, por ser a despedida entre torcida e jogadores, foi preparada pela entidade, que tem hoje campanha publicitária desenhada para o Mundial com o técnico como figura principal. Se treinadores anteriores como Carlos Alberto Parreira, Zagallo e Luiz Felipe Scolari foram contestados de maneira muito comum por crítica e público, mesmo em bons momentos da seleção, Tite transita com tranquilidade até entre palmeirenses, de modo geral. Ele trabalhou no clube em 2006 e teve boa passagem, ainda que breve.

Para a festa ficar completa para a seleção, porém, uma vitória sobre o Chile será essencial. Admirador do futebol de seu adversário, atual bicampeão da Copa América, Tite não deixou o time tirar o pé nas Eliminatórias e qualquer rumor sobre a eventual eliminação da Argentina para uma vaga ao Mundial passou longe do ambiente brasileiro. Um dos conceitos-chave do treinador é a construção de uma equipe não apenas concentrada nos jogos, mas que faça um jogo limpo sempre que possível.

Apesar da expectativa por testes com jogadores reservas, como o lateral Danilo, os meias Arthur e o atacante Diego Tardelli, novatos mais falados desta convocação, Tite não deu indícios sobre quem poderá ser usado durante um jogo. Uma ideia dele, porém, é testar Fernandinho e Casemiro lado a lado, o que não ocorreu ainda no trabalho do atual treinador.

BRASIL x CHILE

Data/Hora: 10/10/2017, às 20h30
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Arbitragem: Roddy Zambrano, auxiliado por Christian Lescano e Byron Romero (todos do Equador)

BRASIL: Alisson; Dani Alves, Miranda, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro; Coutinho, Paulinho, Renato Augusto e Neymar; Gabriel Jesus. Treinador: Tite

CHILE: Bravo; Isla, Medel, Jara e Beausejour; Francisco Silva, Pablo Hernández e Aránguiz; Valdívia; Alexis Sánchez e Eduardo Vargas. Treinador: Antonio Pizzi

 

Texto: Folhapress

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta