Cultura Expresso Foco Literatura

Sentimento Alforriado

Foto: Marcelo Felice

 

Amor tanto tempo guardado

Na alma dissimulado

Deu um grito, aliviado,

Quando viu você chegar!

 

Voltando feliz ao passado

Quebrando grilhões, renovado,

E vendo-se, enfim, libertado

Tornou, neste peito, a pulsar!

 

Os anos que se passaram

Em nada modificaram

O sentimento, tão verdadeiro…

 

E as almas que se separaram

E por tanto tempo esperaram

Voltaram a ser um inteiro!

 

Que será do futuro agora?

Não sei, pra quê planejar?

Já que o acaso namora

Com o destino que Deus mandar!

 

Só sei que hoje a vida

Voltou a ser colorida

 

E a felicidade espalhou-se no ar!

Os sonhos há tanto esquecidos

Já voltam a ser vividos

 

Há tanto pra se sonhar…!

Depois de tanto ter padecido

Natural seja comedido

 

Não há pressa, sejamos prudentes

Afinal, já somos maduros;

Deixemos que o tempo fomente

Os caminhos desse amor tão puro

 

Que haja suavidade, calma e simplicidade

– Nosso amor já tem maioridade! –

E precioso será nosso legado:

A pureza de um sentimento alforriado!

 

Texto: Marcelo Vasconcelos Felice

Notícias relacionadas