Cultura Destaque Expresso Literatura

Oração de Alma

Foto: Marcelo Felice

Pai, embora eu não esteja inteiro,

Meu coração é puro, leal, verdadeiro;

E, por isso, estendo ao céu minha mão,

Neste poema que faço em oração…

 

Meu Deus…

Eu te digo com sinceridade!

Minha dor é pequena, é verdade,

Comparada aos males da vida;

Mas nunca a senti tão doída!

 

De forma que caio ao chão,

De joelhos, pedindo perdão,

Porque não posso mais viver assim:

– Afasta essa angústia de mim…!

 

Senhor, eu conheço o pecado…

E sei que não serei poupado

Das consequências dos atos passados…

Mas o mal que já foi perpetrado

Moldou a fogo e pancadas esse coração

Meu espírito foi imolado

Hoje imploro pela remissão…

 

Aos teus pés, com toda humildade

Eu te rogo, Pai, por caridade

Traz alívio ao meu coração!

 

Expurga toda a maldade

Eu te suplico, com sinceridade

Não suporto mais tanta ingratidão…

 

Se o peso da cruz me oprimir

Que a Sua força eu possa sentir

Que a fé não me venha a faltar…

 

Ergo a Ti o meu rosto marcado

Por tantas dores franzido,

Por tantas lágrimas banhado

 

E Te peço, meu Pai, piedade!

Meu tormento não cabe no peito

Os meus gritos, à noite, no leito,

Ecoam por toda a cidade!

 

Misericórdia te peço, Senhor

E paz pra seguir minha vida

Sou somente um pecador

Só mais uma história sofrida…

 

Mas sei também que ainda sou

Um de seus tantos filhos amados

Sou aquele que muito penou

Pelos erros do passado…

 

Nessa oração em forma de poema

Eu te peço, do fundo da alma:

Revisa, meu Pai, minha pena

Me dá teu colo, me acalma…!

 

Alivia-me essa dor;

Aumenta, Senhor, minha fé;

Me permita sentir teu amor

Me dê forças pra ficar de pé!

 

Meu Pai, meu muito obrigado

Por me fazer um homem de bem

Sei que hoje paguei meu pecado

E almejo andar ao teu lado

Agora e pra sempre – Amém!

 

Texto: Marcelo Vasconcelos Felice

Notícias relacionadas