Destaque Expresso Política

Audiência Pública na Assembleia de Minas discute crise do leite

Deputado Luiz Humberto Carneiro propõe criação de uma comissão especial para debater e cobrar melhorias para o setor produtivo.

Foto: Divulgação

Uma mobilização em repúdio à crise na cadeia produtiva do leite marcou a audiência pública da Comissão de Agropecuária e Agroindústria da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) na quinta-feira (26/10). A reunião contou com a presença de produtores rurais e lideranças ligadas ao setor de diversos municípios mineiros. Segundo o deputado estadual Luiz Humberto Carneiro (PSDB), “mais uma vez, o produtor rural mineiro mostrou sua garra na luta contra a crise na cadeia produtiva do leite. Com o auditório lotado, fizemos um grande debate sobre as dificuldades do setor”.

Foram enfatizados problemas pelos quais passam os produtores de leite. Entre eles, o alto custo da produção, o preço irrisório do leite pago a esses trabalhadores, a energia elétrica cara, a seca e a ameaça de importação de leite do Uruguai, que está suspensa temporariamente.

Durante a reunião, o deputado Luiz Humberto propôs a criação de uma comissão na Assembleia de Minas para organizar todas as demandas da cadeia produtiva. “Esta ação seria um ponto de partida para a elaboração de um documento para direcionar as políticas públicas para o setor, bem como para pautar as nossas cobranças por melhorias para toda a categoria”, explicou o deputado.

O presidente da Comissão Técnica de Pecuária da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais (Faemg), Eduardo de Carvalho Pena, também destacou a necessidade de ações direcionadas para o setor, sobretudo, tendo em vista que Minas é o principal estado produtor de leite no Brasil, responsável por 30% da produção.

De acordo com o presidente da Federação de Cooperativas Agropecuárias de Leite em Minas Gerais – Patos de Minas, Vasco Praça Filho, a cadeia do leite é a maior geradora de trabalho no Brasil. “Só não sabíamos da nossa força. Vamos continuar esse processo de unir sindicatos, cooperativas e prefeitos”, convocou.

A assessora da Diretoria do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg), Isabela Chenna Perez, comentou que o setor almeja linhas de crédito diferenciadas e competitividade. “O Brasil só não está pior por causa do agronegócio”, disse.

O vice-presidente do Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados no Estado de Minas Gerais, José Antônio Bernardes, falou que as empresas também passam por dificuldades atualmente. “Essas crises de leite são sistêmicas. Precisamos organizar a cadeia como um todo”, salientou.

Prefeitos, vereadores, presidentes e representantes de sindicatos rurais e cooperativas de leite do Triângulo e Alto Paranaíba participaram da audiência pública na Assembleia Legislativa, somando forças a produtores de todo o estado em defesa do leite.

 

Texto: Redação

Notícias relacionadas