Cidade Destaque Expresso

Reunião do Cistri apresenta informações sobre a implantação do Samu

O evento contou com a participação do ex-ministro da saúde, Alexandre Padilha, que fez uma avaliação das ações realizadas até o momento

Foto: Leonardo Leal

O Cistri (Consórcio Público Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência e Emergência) apresentou novas informações sobre a implantação do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) na região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba em uma reunião realizada na manhã desta quarta-feira (29), na Aciub (Associação Comercial e Industrial de Uberlândia). O evento contou com a participação do ex-ministro da saúde, Alexandre Padilha.

Foto: Leonardo Leal

De acordo com o secretário executivo do Cistri, Rodrigo Alvim Mendonça, com negativa de participação de Uberlândia, o consórcio teve que mudar o plano de trabalho, as planilhas e negociações com o governo de Minas Gerais para implantação do serviço. “Neste momento estamos com o projeto final em fase de término para apresentarmos na próxima semana ao governo do Estado”, disse.

Alvim destacou que com a apresentação do projeto, encaminhará um ofício solicitando o repasse da última parcela e R$ 700 mil para o Cistri, como também a assinatura e as tratativas do contrato de custeio do Samu e a definição da possível data de implantação do Samu na região. Estamos tentando uma reunião com o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia para finalizar e incluir o hospital”, afirmou.

Foto: Leonardo Leal

Falta de Leitos

Sobre a questão da falta de leitos em Uberlândia para a implantação do Samu,  Alvim disse, “que existe uma necessidade de aumento de leitos na região isso é fato, mas que o Samu vem para onerar esse sistema de leitos, isso é um entendimento que nós do consórcio, os 27 prefeitos não temos”. Ele acrescentou que como o Samu organiza o atendimento. Haverá um equilíbrio entre os pacientes que não teriam que vir e estão sendo atendidos. Assim, eles não virão e vão passar a serem atendidos nos hospitais da região.

Em relação à reunião, Alvim disse que a consultoria contratada estará passando aos prefeitos, aos vereadores e secretários de saúde, o que precisa ser feito, o que já foi realizado, quais são as próximas ações e os resultados da implantação.  Segundo, Alvim são informações mais de caráter técnico.

Novas Planilhas

De acordo com a Superintendente Regional de Saúde, Rosângela Paniago, a parte técnica para implantação do Samu na região já foi cumprida. “Estamos apenas aguardando o Cistri apresentar as nova planilhas. Ele já fez uma prévia e agora vai apresentar a documentação. Após isso Minas Gerais  deve fazer o repasse final e uma nova data para implantação”, afirmou

Organização do atendimento médico

O ex-ministro Alexandre Padilha, destacou que a não adesão de Uberlândia ao Samu, não é um impeditivo para implantação do serviço. Ele disse que os hospitais universitários já recebem vítimas de urgência e Emergência. “O Samu vai organizar essa recepção, será muito bom para as pessoas e melhor para o hospital. Aliás, vários Samus regionais iniciaram no país sem todos os municípios da região participando. Acredito que com o tempo Uberlândia virá a participar”, afirmou.

Padilha lembrou que o Samu começou a operar em 2004, as grandes cidades do Brasil já aderiram ao serviço. Onde funciona, é muito bem avaliado pela população e ajudou a organizar o atendimento.  “Está pronto para começar, inclusive as ambulâncias estão aqui, tem um investimento público em relação a isso. Então, tem que se começar e as cidades vão se incorporando, o importante é colocar o carro para andar, que está pronto”, observou.

 

Texto: Leonardo Leal

Notícias relacionadas