Destaque Expresso Games

“Shadow of War” (“Terra-Média: Sombras da Guerra”)

De um simples papel em branco a 37 indicações para o Oscar, o estupendo universo de J. R. R. Tolkien também se encontra no mundo dos games. E com uma nova continuação!

Foto: Divulgação

Aragorn, Gandalf, Gimli, Sam, Gollum (Smeagol), Sauron ou Frodo. Provavelmente você já ouviu falar de algum. Ou de todos. E todos fazem parte do universo fictício criado pelo então filósofo e professor da Universidade de Oxford, “J. R. R. Tolkien”. Universo contido em cinco grandes obras, sendo a primeira “O Hobbit” (1937); posteriormente, “A Sociedade do Anel” e “As Duas Torres” (1954), “O Retorno do Rei” (1955) e a obra-prima: “O Silmarillion” (editado e postumamente publicado apenas em 1977). E, lógico, além dos livros, tivemos as premiadas adaptações do diretor Peter Jackson para as telonas no início dos anos 2000.

Posteriormente a todo o sucesso das duas trilogias cinematográficas (“O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit”), os games ganharam suas versões. O primeiro jogo da série, baseado no universo de Tolkien, foi “Middle-Earth: Shadow of Mordor” (“Terra-Média: Sombras de Mordor”), lançado em 2014, e começou contando os eventos entre o hiato dos livros/filmes de “O Hobbit” e “Senhor dos Anéis”. O game RPG, estilo aventura em terceira pessoa, tem como protagonista Talion, de Gondor (Térra-Média), um guardião-vigia da estação de observação perto do famoso Portão Negro de Mordor, já dominado pelo poderoso e malvado Senhor da Escuridão: Sauron.

Logicamente, por este ponto de vigilância ser tão perto dos olhos macabros da escuridão, Talion, junto com toda a sua família, é executado pelos três Cavaleiros Negros de Sauron, em busca de uma alma elfo perdida. Aí que entra Celebrimbor (pronuncia: “Quélebrimbor”). Talion fica preso em uma dimensão entre a morte e a vida e tem seu corpo ligado pelo espectro de Celebrimbor. Sem saber o que aconteceu, os dois seguem em direção a uma aventura sobre toda a Terra-Média em busca de vingança, respostas e para quebrar a maldição que deixa ambos presos nessa dimensão superior.

Com o passar da jornada, uma figura muito conhecida do universo de Tolkien aparece perseguindo Talion/Celebrimbor. E esse personagem ajuda Celebrimbor a descobrir seu passado perdido, além de demonstrar toda a sua importância e a motivação de Sauron na tentativa de libertar sua alma e se juntar ao Exército da Escuridão. O elfo (Celebrimbor) ajudou Sauron a forjar o principal anel dos 19 feitos, aquele mesmo: o Um Anel.

O guardião Talion, Celebrimbor em forma de espectro e ele mesmo, Gollum, em “Sombras de Mordor”.

Foto: Divulgação

Em “Terra-Média: Sombras de Guerra”, continuação de toda essa excêntrica história, Talion e Celebrimbor vão novamente atrás das linhas inimigas, na tentativa de montar um novo grande exército de Orcs dominados pelos poderes da alma do elfo, a fim de vencer Sauron. Novos personagens e alguns já conhecidos irão ajudar (ou atrapalhar) a jornada dos dois heróis, além do desenrolar desse poder de um novo anel forjado por Celebrimbor.

Um novo modo online foi introduzido no jogo, além das microtransações. Esse sistema “de loot box” ajuda (pagando em dinheiro real) quem quer facilmente ganhar experiência ou dominar (no mesmo sistema Nêmeses do jogo anterior) um capitão de nível superior para seu exército. Confesso, microtransaçoes não são legais, mas não afetam a experiência do modo campanha.

Desenvolvido pela Monolith Studios e distribuído pela Warner Bros., “Terra-Média: Sombras da Guerra” foi lançado em 10 de outubro deste ano, para Xbox One, PS4 e PC-Windows10/Steam.

Trailer de lançamento de “Sombras da Guerra” – ÉPICO!

 

Texto: Lucas Luz

Notícias relacionadas