Cultura Destaque Expresso Literatura

Amor cruel

Foto: Marcelo Felice

 

Amor, meu feroz torturador,

Que trespassa meu peito de dor

Mas me guia por todo o caminho

 

Amor, meu cruel e impiedoso algoz

Que me ilude se escuto sua voz

Mas me fere se fico sozinho…

 

Amor, meu estranho amor,

Que me mata pra me renascer

Me destroça pra sobreviver

E se exulta quando choro baixinho…

 

Amor, meu fiel escudeiro

Me completa, me torna inteiro

Me acrescenta o que tira primeiro

E se perde sendo ribaldeiro…

 

Amor, meu começo, meu fim

Faz loucuras, zombando de mim…

Porque sofro de amor tanto assim…

 

Amor, meu inferno meu céu

Meu martírio, meu doce, meu fel…

Minha busca… meu prazer mais cruel!

 

 Texto: Marcelo Felice

Notícias relacionadas