Entrevista Expresso Foco

Abrampe completa 10 anos em defesa do micro e pequeno empresário

Entidade sem fins lucrativos visa defender e assessorar a micro e pequena empresa em todas as áreas

Foto: Leonardo Leal

Ao acompanhar o cotidiano das micro e pequenas empresas por mais de 30 anos,  o empresário Odomires Mendes de Paula viu que o empreendedor de pequeno porte necessitava de uma associação para defendê-lo e lutar por seus direitos. Assim, há 10 anos fundou a Abrampe (Associação Brasileira das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte).

Na entrevista abaixo, Odomires ressalta que a Abrampe  apoia e dá suporte ao microempreendedor. Ação que é fundamental para a sobrevivência da empresa. Atualmente com 1,2 mil associados, a entidade realiza ações para se aproximar de seu público e oferece diversos benefícios aos associados, como desconto na joia do Tangará Club e convênio com escritórios de contabilidade.

 

O que é a Abrampe?

A Abrampe é a Associação Brasileira da Micro e Pequena Empresa. Inclusive é a única no país que apoia, defende e assessora as micro e pequenas empresas. Nós prestamos a mais completa assessoria na área tributária, fiscal, previdenciária, trabalhista, financeira. Na realidade, é um suporte, principalmente para quem está começando, ou pretende começar uma atividade comercial ou de prestação de serviço.

Posso garantir com maior segurança que os associados que estão na Abrampe, nenhum deles fechou as portas. Porque ele tem uma assessoria, uma orientação. Ao passo que as pessoas que estão fora, não tem acesso a informações, tradicionalmente fecham as portas em dois anos. Cinquenta por cento, geralmente fecham as portas em dois anos.

 

Qual o objetivo da Abrampe?

É uma instituição sem fins lucrativos que foi criada para beneficiar o micro empresário, não há necessidade de pagar mensalidade, nem anuidade. O objetivo é apoiar defender e assessorar a micro e pequena empresa em todas as áreas.  Costumo dizer que apesar de o nosso segmento ser o maior gerador de emprego do Brasil, nós ainda somos desvalorizados, desrespeitados, abandonados, e o governo olha muito as grandes empresas, principalmente com relação a capital de giro. É quase impossível uma microempresa, principalmente o micro empreendedor que está começando, conseguir uma linha de crédito com juros suportáveis.

Nesses dez anos de existência, quais as ações que o senhor destaca em prol do pequeno empreendedor?

Apesar de ser uma associação nova, tivemos duas conquistas importantes, a primeira foi o alvará provisório. Antes dele, a pessoa alugava um ponto e esperava 60 a 90 dias para sair o alvará e começar seu negócio. A Abrampe conseguiu a criação do alvará provisório, que sai em 24 ou, 48 horas. Assim, ele já pode começar a trabalhar com esse documento em mãos.

Outra conquista importante, foi a isenção de todas as taxas da prefeitura para os microempreendedores individuais. Continuamos trabalhando, temos muitos projetos, em benefício do micro e pequeno empresário. Outro benefício que ajudamos a criar, e nesse caso, nossa vitória foi parcial, é a sala do empreendedor. Pleiteamos essa iniciativa para ser instalada na prefeitura. Porém, essa sala foi criada e transferida para a junta comercial. A Junta Comercial funciona numa rua pequena, só de um quarteirão. Nesse caso, nossa vitória foi de 50%, espero que um dia esta sala do empreendedor se instale na prefeitura. Porque é lá que o micro e pequeno empresário vai buscar suas informações.

Como a Abrampe se mantém?

Existe um diferencial da nossa associação com relação a todas as outras. Ela é a única do país que não aceita doação e subvenção do governo, porque nós achamos que o dinheiro do contribuinte deve ser aplicado em saúde, educação e segurança.

Outro diferencial da Abrampe é de ser a única associação do Brasil em que os associados não precisam contribuir, não tem mensalidade, nem contribuição. Além disso, quando eles se associam, têm uma série de vantagens, vários benefícios. Um deles é o Tangará Country Clube,  onde podem usufruir com sua família e contam com um desconto nas mensalidades e de 70% na joia do clube e nas mensalidade.

Qual o cenário atual das micro empresas?

Costumo dizer que quando o micro empresário tem foco no seu negócio, é persistente. Ele sobrevive. Muitas vezes a pessoa fecha as portas porque não focou no negócio. Outra coisa que destrói uma empresa é quando ela mistura o seu dinheiro da pessoa física e jurídica, não faz a administração da empresa. Isso é muito prejudicial à empresa. Inclusive custa tão pouco ter um software de administração financeira.

Outro aspecto, talvez o mais importante seja a desinformação do micro e pequeno empresário. São milhares de pequenos empresários que pagam a contribuição sindical patronal. Essa contribuição é indevida para quem é optante do Supersimples. Muitas pessoas pagam por desconhecimento. A Abrampe orienta a não pagar, porque não há necessidade.

Quais ações que a associação desenvolve para estar mais perto do micro e pequeno empresário?

Nós temos o site: www.abrampe.com.br, onde tem todas as informações. O empreendedor também pode contatar a associação pelo telefone: 3235-9111.

No site estamos sempre com novas informações para orientar nossos associados, principalmente agora com as mudanças na área trabalhista. Com a reforma, em poucos dias já diminui as ações trabalhistas em 80%  a 90%. Estamos atento.

O pequeno e micro empresário precisa procurar a Abrampe. Queremos ter mais associados, 4 mil, 6 mil, porque quanto maior a quantidade de associados, mais serviços vamos oferecer a eles. Nós temos que nos unir para ficarmos mais fortes, esse é o nosso objetivo.

A associação também conta com parcerias e convênios com escritórios de contabilidade?

Outro grande benefício, um caso inédito no Brasil. Nós temos convênio com um escritório de contabilidade. Esse escritório cobra apenas R$ 149,00 para fazer contabilidade de uma empresa com até três funcionários. Esse é um grande benefício que ele oferece e também não cobra 13º para o contador. Hoje, geralmente se paga R$ 500,00 a R$600,00 para o escritório de contabilidade e ainda paga 13º salário.

O que micro e pequeno empresário deve fazer para se associar à Abrampe?

Basta vir na avenida Afonso Pena, 252, no centro, ou se dirigir ao nosso plantão de atendimento na avenida Brasil, 2311. A associação é feita na hora. Não tem taxa de adesão. A pessoa não tem nenhuma despesa.

Ele também pode vir na Abrampe que fazemos a inscrição no CNPJ, sem nenhum custo.

 

Texto: Leonardo Leal

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta