Cidade Expresso Foco

A partir de Janeiro começam a valer as exigências do e-Social

De acordo com os lucros, as empresas deverão prestar contas através de nova plataforma digital

Foto: Divulgação

A nova forma de prestação de contas das empresas implementada pelo Governo é o e-Social, também chamado de Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas. Com o objetivo de facilitar a prestação de dados sobre obrigações fiscais e trabalhistas.

Empresas com faturamento anual superior a R$ 78 milhões, em 2018, passam a ter a utilização obrigatória do programa e-Social. O e-Social é um sistema onde ficarão registradas as informação da empresa e trabalhador. Cabe ao empregador fazer o registro da Qualificação Cadastral.

Numa segunda etapa, no mês de julho, serão inclusas as demais empresas privadas, como Simples, Micro Empreendedor Individual e pessoas físicas que possuam empregados.

O e-Social colocou a Ergonomia em um novo patamar dentro das empresas. De acordo com a fisioterapeuta e diretora da Ergonlíder, Carolita Vasconcelos, foram acrescentados 12 itens a serem avaliados. “Através do e-Social, as empresas deverão se organizar e ter profissionais tecnicamente aptos para orientar e auxiliá-las no preenchimento dessas tabelas, que passam a ser obrigatórias a partir de 2018, de acordo com o seu faturamento anual”, explica Carolita.

Consequentemente, após algumas alterações na tabela e inúmeras palestras e treinamentos promovidos por entidades parceiras do Governo, houve uma busca das empresas por maiores informações para o devido preenchimento e automaticamente a busca por profissionais aptos para orientar e auxiliá-las no preenchimento dessas tabelas.

A Ergonlíder auxilia na elaboração da análise ergonômica da empresa para preencher os requisitos solicitados pelo e-Social. “De acordo com as novas exigências do Governo, trabalhamos na parte ergonômica da empresa, facilitando o preenchimento de todos os quesitos impostos pelo e-Social”, esclarece a fisioterapeuta.

Através da efetivação deste sistema, o Governo pretende reduzir custos e tempo na execução de 15 obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas das empresas.

 

Texto: Kompleta Comunicação

Notícias relacionadas