Cidade Expresso Foco

Estudantes constroem carro off-road para competição de Engenharia

Além de ajudar no aprendizado, o projeto prepara os estudantes para o mercado de trabalho

A equipe deve projetar e construir um veículo monoposto, off-road e esportivo (Foto: Lucas Cardoso)

Pode parecer apenas um esporte automobilístico, como rali, mas na verdade é um projeto de extensão dos cursos de Engenharia da UFU. No laboratório eles desenvolvem o que aprendem nas aulas construindo um carro off-road para participar de competições da Sociedade de Engenheiros da Mobilidade (SAE).

“Esse projeto é desenvolvido por alunos de Engenharia Mecânica, Mecatrônica e Aeronáutica. Nós temos alunos também da Faculdade de Engenharia Elétrica e da Faculdade de Computação. É uma proposta que é feita aos estudantes de Engenharia para construção de um veículo off-road para a gente participar de uma competição nacional e manter uma etapa regional para construir, então, esse off-road, que tem que oferecer algumas condições mínimas de segurança para o piloto e também tem que ter um bom desempenho em todas as provas que são propostas”, afirma o supervisor Daniel Dall’Onder, professor de Engenharia Mecânica.

A equipe deve projetar e construir um veículo monoposto [com apenas um lugar para sentar], off-road [expressão derivada do inglês que significa “fora de estrada”; refere-se a atividade esportiva ou automobilística realizada em locais não pavimentados e de difícil acesso] e esportivo.

O veículo deve ser um protótipo para uma produção estimada em 4 mil unidades por ano, pois as competições avaliam a viabilidade de se produzir os veículos dos competidores em grande escala, simulando a indústria automotiva. O carro deve também buscar desempenho líder de mercado em termos de velocidade, manobrabilidade, conforto e robustez em terreno acidentado.

A próxima competição vai ocorrer entre os dias 22 e 25 de fevereiro, em São José dos Campos. Os alunos são avaliados em seis subgrupos: eletrônica, estrutura, freio, direção e suspensão, marketing e powertrain [que inclui motor, transmissão e sistema de transmissão, componentes que atuam no movimento do carro].

Com o projeto multidisciplinar, cada Engenharia ajuda a contribuir com o conhecimento da área. “A Engenharia Elétrica contribui na parte da instrumentação do carro. Ou seja, com diversos sensores espalhados pelo carro a gente consegue adquirir informações úteis para o piloto, como velocidade, distância percorrida, indicação de reserva de combustível e outras informações como, por exemplo, manutenção da bateria. Enfim, informações úteis para o piloto que estão no carro comum mesmo”, diz o aluno Guilherme Aber, de Engenharia Elétrica.

Para o estudante de Engenharia Mecatrônica Jhonatan de Oliveira, que também é piloto, a experiência vai além da adrenalina em correr nas competições. Foi no projeto que ele desenvolveu o conhecimento em automobilística. “Quando eu entrei no projeto eu não sabia praticamente nada. Hoje eu já sei em geral como funciona um carro praticamente inteiro. É muito útil a parte prática para o estudante de Engenharia. A gente tem os laboratórios aqui, só que acaba que a gente fica meio limitado às aulas. Aqui no Baja não, aqui a gente tem a oportunidade de estar 24 horas nesse ambiente de oficina aqui, pondo a mão na massa e aprendendo como acontece fora da universidade.”

Além de ajudar no aprendizado, o projeto prepara os estudantes para o mercado de trabalho. “A motivação dos estudantes, como eu falei, eles veem em sala de aula e conseguem aplicar isso na prática, na hora de procurar emprego também muitas indústrias valorizam muito estudantes que tenham participado de projetos desse tipo e a gente leva o nome da universidade para as competições. Então, quando a gente tem bons resultados isso é uma vitrine ótima para os alunos e para a universidade”, afirma o professor Dall’Onder.

 

Texto: Comunicação UFU

Notícias relacionadas