Destaque Expresso Nacional

Presidente da Rede Minas, compositor Flávio Henrique morre em BH devido à febre amarela

Músico que estava internado no Hospital Mater Dei desde 11 de janeiro, teve parcerias com renomados artistas

Foto: Frank Bittencourt / Divulgação

O compositor e presidente da Rede Minas e da Rádio Inconfidência, Flávio Henrique Alves de Oliveira, 49 anos, morreu na manhã desta quinta-feira (18) no Hospital Mater Dei. Ele estava internado desde o dia 11 de janeiro. Segundo nota divulgada pelo hospital, a morte do compositor se deu em decorrência de complicações de Febre Amarela. Flávio Henrique deixa mulher e uma filha.

Flávio Henrique integrava o Quarteto Cobra Coral, tinha mais de 180 músicas gravadas. O compositor tem um histórico de parcerias com Paulo César Pinheiro, Chico Amaral, Milton Nascimento e Toninho Horta. Foram oito CDs autorais e um DVD, seu último trabalho foi o CD Zelig de 2012.

Em nota divulgada nas redes sociais, o governador Fernando Pimentel afirmou que recebeu com grande pesar a notícia de falecimento do compositor. “Minas perdeu um grande artista e eu perdi um amigo querido e um companheiro de ideias e sonhos”.

O secretário de Estado da Cultura, Ângelo Oswaldo afirmou em nota que o compositor atuou com destaque na Rádio Inconfidência, onde também ocupou a presidência. Sua dedicação foi fundamental durante a transferência da Rádio e da Rede Minas para as novas instalações das emissoras, bem como na implantação e integração da Empresa Mineira de Comunicação (EMC). “Flávio Henrique foi, como gestor público, o que sempre foi como artista. Uma pessoa leal e digna que pôs o seu talento a serviço da cultura de Minas Gerais e do Brasil”.

Febre Amarela – Segundo balanço da Secretaria de Estado de Saúde, até o dia 17, foram confirmados 22 casos de febre amarela silvestre em Minas Gerais desde dezembro do ano passado. Desse número 15 pacientes morreram e outros 46 seguem sendo investigados pela secretaria.

 

Texto: Redação

Notícias relacionadas