Expresso Foco Saúde

Uberlândia participa da Semana Mundial de Combate e Prevenção da Hanseníase

Evento vai de 22 a 26 de janeiro e busca alertar a população sobre o diagnóstico precoce

Foto: Reprodução

A hanseníase é um problema de saúde pública que exige vigilância em todos os níveis de atenção. Por isso, de 22 a 26 de janeiro, acontece a Semana Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase. Para intensificar a divulgação dos sinais e sintomas da doença, a Secretaria Municipal de Saúde de Uberlândia, por meio da Vigilância Epidemiológica, realizará várias ações voltadas para a população e comunidade médica em geral.

 

Dia Nacional de Combate

O Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase é celebrado em 28 de janeiro. De acordo com a coordenadora da Vigilância em Saúde, Elaíze Maria Gomes de Paula, a data e as ações servem de alerta para a população. “Queremos lembrar sobre a importância do diagnóstico precoce e os perigos da hanseníase. A doença pode ser confundida com outras enfermidades, devido aos sintomas, então, é um alerta para que as pessoas prestem atenção e procurem as unidades de saúde em caso de suspeita”, explicou.

As atividades de conscientização serão realizadas em parceria com o Centro de Referência Nacional em Dermatologia Sanitária e Hanseníase(Credesh), Movimento de Reintegração da Pessoa Atingida pela Hanseníase (Morhan) e a Casa das Bem Aventuranças (CBA).

 

Troca de experiências e informações

A novidade este ano é a realização do 1º Seminário Regional sobre Hanseníase: perspectivas para a prevenção e tratamento adequados da doença – realidade e desafios, que acontece nos dias 22 e 23. O evento é organizado pela Secretaria Municipal de Saúde e Credesh (UFU) e será no Bloco 3Q – Campus Santa Mônica e voltado para médicos de Uberlândia e região.

Nos dois dias de evento, serão abordados os aspectos clínicos e epidemiológicos da doença, a prevenção de lesões e sequelas e, principalmente, a questão do preconceito, desmitificando a enfermidade (que geralmente é confundida com a lepra) e qual a melhor forma do acolhimento psicológico aos pacientes.  As inscrições para o seminário já estão abertas e podem ser feitas pelo site do Credesh

Na quarta-feira (24), das 9h às 17h, haverá uma exposição de fotos no saguão do Hospital de Clínicas de Uberlândia (HCU-UFU) e orientações sobre sinais, sintomas e tratamento.

 

Orientação à comunidade

As unidades básicas de saúde da rede municipal estarão engajadas em conscientizar a população sobre o que é a hanseníase e a importância do diagnóstico precoce. Acontecerão salas de espera nas unidades durante toda a semana, das 8h às 13h30. Os profissionais da saúde realizarão palestras e roda de conversa, distribuindo folhetos. O tema também será abordado nos grupos de acompanhamento que acontecem nas unidades.

 

Sobre a doença

A hanseníase é causada por um parasita (Mycobacterium leprae, ou bacilo de Hansen) que ataca a pele e os nervos em volta da área afetada. É infecto-contagiosa e se manifesta principalmente por meio de lesões na face, mãos, braços, pernas, costas e pés. Dor, sensibilidade, aparecimento de manchas brancas e vermelhas, dormência e perda de força nos músculos são alguns dos seus principais sintomas.

Ainda que o tempo de multiplicação do bacilo seja lento (em média de 11 a 16 dias), o parasita pode permanecer no organismo humano de 2 a 7 anos. É transmitido de uma pessoa por via respiratória (espirro e tosse), especialmente por meio do convívio íntimo e prolongado.

O diagnóstico precoce da hanseníase e o seu tratamento adequado evitam a evolução da doença. Se não tratada, a enfermidade pode provocar incapacidades físicas que podem evoluir para deformidades nos pés, olhos e mãos. O tratamento é gratuito e está disponível nas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Programação 1º Seminário Regional

Segunda-feira (22/01)

8h às 8h30 – Credenciamento, coffee break e apresentação musical
8h30 às 9h30 – Abertura: Credesh/HC/UFU, SMS Uberlândia, Regional Saúde, Mohran e CBA.
9h30 às 11h30 – Aspectos Epidemiológicos em Hanseníase (Dra. Isabela M. B. Goulart)
11h30 às 13h – Intervalo
13h às 15h – Aspectos Clínicos em Hanseníase (Dra. Maria Aparecida Gonçalves)
15h  às 15h30 – Coffee break.
15h30 às 17h – Prevenção de Incapacidades e Reabilitação (Dra. Ana Carolina R. Cunha e Maria Fernanda F. Barbosa)
17h às 18h – Órtese: prevenção de lesões/sequelas e reabilitação (Agamenon dos S. Vasconcelos)
18h – Encerramento.

 

Terça-feira – (23/01)

8h às 8h30 – Credenciamento, coffee break
8h30 às 9h30 – Hanseníase: aspectos gerais, avaliação e acompanhamento de contatos (Dulcinéia O. B. Souza)
9h30 às 10h30 – Hanseníase não é lepra (Prof. Dr. Luciano Curi)
10h30 às 11h30 -Atenção Psicológica em Hanseníase, Produção da estigmatização e habilidade de comunicação empática (Raphael Z. Andrade).
11h30 às 13h – Intervalo
13h às 14h – Abordagem Social em Hanseníase (Esp. Alexandra R. Oliveira, Helenilze S. Magalhães, Selma Apª. Costa)
14h às 15h – Cuidados de Enfermagem ao paciente com Hanseníase (Michelle E. T. Silva)
15h às 15h30 – Coffee break
15h30 às 17h – Rede de atenção ao paciente – SMS Uberlândia / Superintendência Regional de Saúde de Uberlândia.
17h às 18h – Órtese: prevenção de lesões/sequelas e reabilitação (Agamenon dos S. Vasconcelos)
18h – Encerramento

 

Participe!

 O quê: Semana Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase

Quando: de 22 a 26 de janeiro

Onde:Bloco 3 Q – Campus Santa Mônica, Saguão do HCU-UFU e unidades de saúde da rede municipal

Inscrições para o seminário: http://www.credesh.ufu.br/

 

Texto: Secom PMU

Notícias relacionadas