Cultura Destaque Expresso Literatura

Serenata na madrugada

Foto: Marcelo Felice

 

Estrelas…

Brilhantes estrelas de luzes coloridas pairam na negritude do espaço;

Incontáveis pontos de esperança na imensidão do firmamento,

Sorrateiras…

Invadem o silêncio noturno e anunciam ao cosmo a sua energia,

Iluminam o céu e dardejam vida na força que explode em seu interior,

Completam um quadro de beleza abstrata ao emoldurar a luz azulada da lua cheia…

 

Um homem…

Olhando da Terra este espetáculo comandado pela magnitude da natureza,

Sorri, encantado, enquanto arpeja as cordas do velho violão amigo,

Numa serenata à sua musa encantada,

De beleza só comparável ao painel desenhado pela noite…

Ele é só – e sabe disso…!

Mas não está só, porque tem o seu próprio sentimento a lhe acompanhar;

Seu amor, que dita seus atos;

A sua música que emana da alma,

A sua força, a sua alegria,

A energia que brota e flui de si, impaciente…

Essa, ele a traz consigo…

A energia da vida, pontos de luz brilhando esparsos na imensidão de sua alma;

Forte…

Brilhante…

Interminável…

Como as estrelas…

Explodindo em calor no infinito…!

 

Texto: Marcelo Felice

Notícias relacionadas