Cidade Expresso Foco

Avaliação psicopedagógica

AACD Uberlândia realiza avaliações que permitem identificar as capacidades e dificuldades cognitivas de crianças e adolescentes

Foto: Divulgação

A AACD Uberlândia está realizando avaliações e testes voltados para crianças e adolescentes. Aplicado pelos setores de pedagogia e psicologia, o procedimento visa investigar o funcionamento global do cérebro, com o objetivo de descrever, de maneira mais completa, as capacidades e dificuldades cognitivas, bem como verificar aspectos comportamentais, funcionais e emocionais do avaliado.

As avaliações ocorrem por meio de entrevistas, inventários e bateria de testes psicológicos e neuropsicológicos, indicados para crianças e adolescentes (de 6 a 15 anos) com suspeita de deficiência intelectual, dificuldade de aprendizagem ou comportamento decorrente ou não de lesões: traumatismo craniano (acidente, tumor, infecção cerebral, doença degenerativa) ou desenvolvimento anormal do cérebro (má formação cerebral). Um dos testes realizados pela unidade, muito procurado por pais e indicado por profissionais da saúde, é o Teste Wisc IV (Escala de Inteligência Wechsler para Crianças), que avalia os diferentes aspectos da inteligência dos entrevistados. “Os testes são muito úteis para diagnóstico de deficiências ou avaliações, mas também identificam habilidades e dificuldades, assim como a capacidade intelectual e fornece informações relevantes para a elaboração de uma programação educacional específica para cada caso”, afirma Ligia Vilela, psicóloga da AACD.

A avaliação inicia com a coleta de informações junto a família do avaliado para melhor conhecer o histórico e a dinâmica familiar, que pode influenciar diretamente no desenvolvimento emocional, social e educacional do mesmo. “Durante os procedimentos são realizadas atividades lúdicas que criam um bom vínculo entre o avaliador e avaliado, para a aplicação dos testes que visam medir a capacidade intelectual e funcional da cognição (atenção, memória, concentração, resistência à distração, organização perceptual, capacidade visomotora), auxiliando assim na conclusão da hipótese diagnóstica”, explica Alexandra Sardella, pedagoga da instituição.  O resultado final desse processo auxilia e orienta a família e a escola no melhor caminho e acompanhamento pedagógico para ajudar nas dificuldades da criança e do adolescente, assim como trabalhar o potencial e as habilidades que apresentam.

 

Texto: AACD Uberlândia

Notícias relacionadas