Cultura Destaque Expresso Literatura

Soneto do amor proibido

Foto: Marcelo Felice

 

Em tudo o que faço, vejo você!

Na volta do dia, em canteiros de flores

Em meio ao trânsito, lugares, odores

Lá está o seu sorriso a me entorpecer…

 

Em tudo o que penso, sinto você!

No meio da noite, sonhando acordado,

Grito seu nome e, mais excitado,

Sinto o seu corpo, a me envolver…

 

Tal qual um romântico apaixonado

Trilhando um caminho indefinido

Obedeço às ordens do meu coração;

 

Mesmo sabendo que é um jogo arriscado

Apostar com tal força num amor proibido

Me atiro em seus braços, sem hesitação!!

 

Texto: Marcelo Felice

Notícias relacionadas