Expresso Ituiutaba Regional

Administração Municipal de Ituiutaba terá eventos para comemorar a data

A maior movimentação comemorativa programada, deverá ser no Plenário da Câmara Municipal de Ituiutaba

Foto: Ascom Ituiutaba

No âmbito da administração municipal, da Prefeitura de Ituiutaba, três secretarias até o momento confirmaram que irão desenvolver algum tipo de ação ou atividade em comemoração do “Dia Internacional da Mulher”. Eventos internos, gratuitos e aberto ao público, palestras estão no planejamento das secretarias: Desenvolvimento Social, Saúde e Educação.

A maior movimentação comemorativa programada, deverá ser no Plenário da Câmara Municipal de Ituiutaba, a ser desenvolvida pela Secretaria de Saúde. Está previsto para ocorrer no próximo dia 8, entre 15h e 17h, com momentos de embelezamento, palestras e dicas de saúde. Esta ação é uma realização do Núcleo de Apoio a Saúde da Família, NASF e do Programa de Saúde da Família, PSF.

Outras duas secretarias, da Prefeitura de Ituiutaba, farão ações restritas ao funcionamento interno e também aberto ao público. A Secretaria de Desenvolvimento Social, através dos cinco Centro’s de Referência e Assistência Social, CRAS deverá passar as mulheres dicas e orientações. Na Secretaria de Educação, a celebração da data ocorrerá de forma interna.

Curiosidades sobre o dia oito de março

As histórias que remetem à criação do Dia Internacional da Mulher alimentam o imaginário de que a data teria surgido a partir de um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova York em 1911, quando cerca de 130 operárias morreram carbonizadas. Sem dúvida, o incidente ocorrido em 25 de março daquele ano marcou a trajetória das lutas feministas ao longo do século 20, mas os eventos que levaram à criação da data são bem anteriores a este acontecimento.

Desde o final do século 19, organizações femininas oriundas de movimentos operários protestavam em vários países da Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de aproximadamente 15 horas diárias e os salários medíocres introduzidos pela Revolução Industrial levaram as mulheres a greves para reivindicar melhores condições de trabalho e o fim do trabalho infantil, comum nas fábricas durante o período.

O primeiro Dia Nacional da Mulher foi celebrado em maio de 1908 nos Estados Unidos, quando cerca de 1500 mulheres aderiram a uma manifestação em prol da igualdade econômica e política no país. No ano seguinte, o Partido Socialista dos EUA oficializou a data como sendo 28 de fevereiro, com um protesto que reuniu mais de 3 mil pessoas no centro de Nova York e culminou, em novembro de 1909, em uma longa greve têxtil que fechou quase 500 fábricas americanas.

Em 1910, durante a II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas na Dinamarca, uma resolução para a criação de uma data anual para a celebração dos direitos da mulher foi aprovada por mais de cem representantes de 17 países. O objetivo era honrar as lutas femininas e, assim, obter suporte para instituir o sufrágio universal em diversas nações.

Com a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) eclodiram ainda mais protestos em todo o mundo. Mas foi em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro no calendário Juliano, adotado pela Rússia até então), quando aproximadamente 90 mil operárias manifestaram-se contra o Czar Nicolau II, as más condições de trabalho, a fome e a participação russa na guerra – em um protesto conhecido como “Pão e Paz” – que a data consagrou-se, embora tenha sido oficializada como Dia Internacional da Mulher, apenas em 1921.

Somente mais de 20 anos depois, em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres. Nos anos 1960, o movimento feminista ganhou corpo, em 1975 comemorou-se oficialmente o Ano Internacional da Mulher e em 1977 o “8 de março” foi reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas.

 

Texto: Ascom Ituiutaba

Notícias relacionadas